Saúde

Entenda como a gestão em seu hospital influência no crescimento da sua empresa

A falta de planejamento e as dificuldades com o controle financeiro são duas das principais causas de falência nos negócios. E isso também inclui o setor da saúde. Assim, a gestão no hospital e nas clínicas se tornou uma das maiores prioridades para os empresários.  

Isso porque, de acordo com dados divulgados pelo SEBRAE cerca de 27% das empresas de pequeno e médio porte encerram as atividades antes mesmo de completar o seu primeiro ano de atuação.  

Entre as causas mais comuns para esse colapso, o despreparo sobre a gestão de negócios é o segundo motivo mais comum. 

O gerenciamento comercial é responsável pela coordenação e organização de todos os setores de um negócio, garantindo que a empresa siga os rumos idealizados pelos fundadores da instituição. 

Assim, a gestão será um reflexo imediato dos responsáveis por esse trabalho, que devem estar aptos a abraçar todos os desafios que possam surgir. 

Por isso, investir em uma especialização na pos em gestão hospitalar ead ou garantir que os responsáveis por essa tarefa sejam devidamente qualificados para o serviço, pode resultar em um grande impacto no crescimento financeiro das instituições médicas. 

O que faz uma boa gestão hospitalar 

Uma boa gestão hospitalar é responsável pela garantia da efetividade das atividades internas e pelo pleno funcionamento dos processos operacionais. 

Além disso, ela deve certificar a segurança dos pacientes, possibilitando a agilidade e qualidade do atendimento e a modernização dos sistemas. 

O profissional responsável por essa coordenação comercial deve, ainda, ser muito bem capacitado – com um mba em administração hospitalar e gestão em saúde, por exemplo – para manter um constante controle acerca do equilíbrio financeiro do negócio.  

Isso porque, além do acompanhamento dos processos e a gestão das pessoas, esses gestores também devem confeccionar: 

  • Planos administrativos; 
  • Avaliação e controle dos gastos e investimentos; 
  • Organização de recursos; 
  • Construção de respostas efetivas para problemas; 
  • Liderança multidisciplinar, entre outros. 

Assim, a especialização em um curso tecnico de gestão financeira ou em aulas focadas no segmento da saúde é uma diferenciação que pode ser benéfica para a construção da carreira da pessoa, e também determinante para o crescimento do hospital ou consultório.  

Como conquistar uma administração financeira mais assertiva 

As finanças empresariais são um dos principais pontos de destaque de qualquer organização. E na gestão de saúde e administração hospitalar não é diferente. 

Afinal, a qualidade da ministração dos recursos financeiros está diretamente interligada com a efetividade do atendimento ao cliente.  

No entanto, esse controle hospitalar apresenta algumas particularidades que tornam toda a cadeia de custos um pouco mais complexa e, consequentemente, a própria organização financeira passa a exigir mais atenção e cautela dos gestores. 

Por esse motivo, garantir que a condução dos processos financeiros hospitalares esteja sendo efetuada de forma mais assertiva requer que os profissionais responsáveis realizem ações, como: 

  1. Controle dos custos da clínica médica 

A organização das despesas do consultório – e do hospital como um todo –, é fundamental para estruturar e projetar as ações administrativas necessárias para a padronização do setor financeiro e do atendimento aos pacientes. 

Deste modo, é preciso identificar e categorizar os custos diretos e indiretos, fixos e variáveis. 

Assim, os gestores poderão formular um planejamento mais estruturado, sistematizando as reais necessidades e permitindo a realização de cortes de despesas desnecessárias.  

Neste contexto, os custos diretos dizem respeito aos materiais e serviços utilizados durante o atendimento das pessoas, ou seja, aqueles produtos que são necessários para o funcionamento da instituição.  

Enquanto isso, os gastos indiretos são aqueles investimentos que não estão diretamente relacionados com as consultas ou aos procedimentos médicos, mas que contribuem para que o atendimento seja possível, como a administração, nutrição, setor comercial etc. 

A devida gestão de todos esses fatores é capaz de trazer mais segurança e previsibilidade, auxiliando na tomada de decisões, no enfrentamento de crises econômicas e na garantia de um crescimento mais sustentável para o negócio.  

  1. Realização de uma boa gestão de pessoas 

Ainda que essa área não pareça estar diretamente relacionada com as questões financeiras, a efetividade na coordenação de pessoal deve ser uma prioridade da gestão hospitalar.

Isso porque, o nível de satisfação dos funcionários e a rotatividade na empresa impactam muito uma instituição de saúde.  

Afinal, o desligamento de um funcionário, em conjunto com a contratação e treinamento de novos profissionais, pode gerar um impacto econômico muito significativo para os hospitais. 

Para se ter uma ideia, em algumas clínicas o turnover pode chegar a custar até oito salários em: 

  • Rescisão contratual; 
  • Décimo terceiro e férias; 
  • Custos de recrutamento; 
  • Treinamento de capacitação; 
  • Riscos processuais, entre outros.  

Desta forma, o investimento na criação de planos de carreira, cultura de benefícios, na gestão eficiente dos horários e na criação de um ambiente organizacional mais atrativo e satisfatório é essencial para uma boa gestão hospitalar. 

  1. Construção planejamento eficiente 

Independentemente do segmento da empresa, um bom planejamento é fundamental para a efetuação de uma administração eficiente. Isso porque, é a partir desta organização que as metas e objetivos comerciais deixam de ser abstratos e tornam-se mais funcionais.  

No entanto, como uma clínica médica nunca funciona exatamente igual a outra, é preciso que esses processos e ações estejam de acordo com as necessidades de cada ambiente e modelo de negócio. 

Assim, é possível garantir que o foco esteja sempre na lucratividade e no crescimento do hospital. 

Para que isso seja possível é crucial que seja feita uma análise sobre as estruturas físicas do ambiente de trabalho, os materiais utilizados e as necessidades dos pacientes. 

Além disso, é preciso otimizar os custos, manter um controle sobre a receita e os pagamentos necessários, entre outros.  

  1. Dedicação a um atendimento aprimorado 

Em todos os segmentos do mercado a priorização dos clientes como o centro de todas as ações comerciais tem se tornado uma constante. 

Isso porque, aos poucos, tem-se percebido que a humanização do atendimento é capaz de aumentar a satisfação do público e a fidelização dos consumidores.  

No ambiente médico e hospitalar essa relação pessoal afeiçoada é ainda mais necessária e fundamental. Pois, é através desse tipo de atendimento mais cuidadoso que a empresa é capaz de conquistar os pacientes e garantir que eles continuem procurando o seu serviço.

Além disso, o investimento na construção de uma conexão maior com o público permite que os gestores sejam capazes de reduzir os atrasos e as faltas em consultas, o que acaba diminuindo muito o impacto que esses contratempos causam nas finanças do consultório. 

  1. Familiarização com estratégias de marketing 

Ainda que as ações de marketing possam ser motivo de inquietação entre os profissionais da saúde, devido ao receio quanto às normas do conselho de ética da medicina, o investimento neste tipo de ação publicitária é essencial para o sucesso de um negócio.  

Isso porque, enquanto o marketing geral é voltado para a construção de uma necessidade de consumo nas pessoas, a principal função do marketing hospitalar é identificar as melhores formas de melhorar o serviço desempenhado e os recursos disponibilizados.

Por isso, é essencial que os profissionais responsáveis por esse tipo de ação sejam devidamente formados em um mba em gestão hospitalar ead e tenham a ciência de todos fundamentos e limitações que essas ações possuem no ambiente médico. 

Uma publicidade bem feita é capaz de aumentar a visibilidade do seu consultório, melhorar o atendimento e a satisfação dos clientes, construir um senso de autoridade perante o mercado e, de forma indireta, afetar positivamente na lucratividade do negócio. 

Como aperfeiçoar as habilidades de gestão hospitalar 

A aquisição de conhecimentos acerca da administração financeira, de pessoal ou em relação a gestão e otimização de recursos, é muito importante para que as empresas sigam se desenvolvendo e se estabilizando em um mercado tão concorrido. 

Por isso, investir em um curso de gestão hospitalar ead é primordial para quem deseja desempenhar bem essa função – e isso vai desde de trabalhadores de qualquer setor do hospital até mesmo os médicos e empresários, donos de consultórios pequenos.  

Afinal, através deste tipo de formação, é possível compreender um pouco mais a fundo sobre as particularidades do processo administrativo hospitalar, sobre a dinâmica dos custos e quanto ao aspecto empreendedor da abertura de uma marca.  

Uma vez que a faculdade de medicina não abrange os conceitos acerca da abertura de um negócio ou sobre as necessidades e burocracias de manter um consultório, a gestão hospitalar valor da mensalidade é um investimento necessário para esses profissionais. Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog It Business Fórum, site voltado para a veiculação de conteúdos relevantes sobre negócios, startups e estratégias para pequenas, médias e grandes empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo