Polícia

Em 2014, Marcelo Odebrecht disse em e-mail que Dilma seria presa

O empresário Marcelo Odebrecht, disse em e-mails em 2014 que a presidente Dilma Rousseff do PT sairia do Palácio do Planalto algemada, se a lava-jato seguisse avançando com a linha de investigação em torno da UTC Engenharia e OAS.

As revelações aconteceram após firmamento de acordo de delação premiada do filho de Emílio, o material foi entregue a Polícia Federal. E levanta suspeitas sobe Lula, Dilma e Jaques Wagner – ex-governador da Bahia, atual senado pelo estado.

Marcelo nos e-mails alertava outros executivos da Odebrecht, da necessidade de fechamento do que chamava “caixa de pandora”, em referência as contas na Suíça, ele demonstrou também ter informações privilegiadas (vazadas), de uma operação que seria deflagrada no início de 2015, onde cerca de 60 pessoas foram alvos.

O empresário dizia nos e-mails ao qual O Antagonista teve acesso, que se executivos da Camargo Corrêa, da OAS e da UTC fechassem delação, Dilma sofreria impeachment e seria melhor ela, Lula, o PT e MDB pedirem áxilo político em Cuba. “Aí melhor Ela, o antecessor e todo o PT e PMDB buscarem asilo em Cuba.” Revela trecho do diálogo.

Etiquetas
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar