Geral

Doação de ossos para o povo pobre comer mostra o retrocesso no Brasil, critica Alex da Piatã

O deputado estadual Alex da Piatã (PSD), através das suas redes sociais, criticou o governo federal ao ler uma notícia de uma fila em um centro de distribuição de alimentos na cidade de Cuiabá (MT) para receber doações de ossos. De acordo com o pessedista, que se indignou ao ver a cena, isso mostra que a população tem passado fome e tem faltado a carne na mesa. Na visão do político, muitos têm recorrido aos ossos para poder se alimentar. 
O deputado acredita que a sociedade brasileira tem retroagido, graças ao presidente da República, em tudo aquilo que foi avançado nos últimos anos em aspectos sociais e econômicos.

“Eu não poderia deixar de partilhar com vocês, de acordar nesse domingo, e ver uma notícia tão triste que entristece o nosso coração e aumenta a nossa indignação onde um açougue em Cuiabá está doando ossos e formando filas de pessoas que não conseguem colocar carne na mesa e estão ali pra receber esses ossos pra alimento. Imagine a tragédia que nós chegamos”, disse.  

“Que Deus abençoe essas famílias, mas que nós possamos agir também e é por isso que eu quero aproveitar e parabenizar tantos políticos que tem tido coragem como o senador Otto Alencar de se expor e fazer esse enfrentamento a esse governo, a essa tragédia que está aí e que no próximo ano na hora de escolher o nosso próximo presidente da república possamos lembrar do que nós estamos vivendo hoje”, completou.

O fato da doação de ossos a famílias carentes foi registrado pela TV Centro América. Segundo a emissora, 420 pessoas e 40 entidades estão cadastradas atualmente como beneficiários das doações de alimentos por comerciantes da Central de Abastecimento e Distribuição da capital mato-grossense. Uma vez por semana, os donos de bancas da feira disponibilizam alimentos que não foram comercializados, como vegetais, legumes e frutas, para serem distribuídos a pessoas carentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo