Política

Diretor diz que Geddel discutiu anistia ao caixa dois com JBS

De acordo com a coluna de Monica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) é um dos alvos da JBS, que nesta semana entrega anexos de alguns executivos à Procuradoria Geral da República (PGR) como complementação de seu acordo de delação premiada.

De acordo com os executivos, Geddel discutiu com a JBS um projeto de anistia ao caixa dois, que livraria políticos de punição por corrupção. Pelo texto que Geddel tinha em mente e chegou a rascunhar, segundo o diretor da empresa, Francisco de Assis e Silva, o caixa dois seria tratado como crime tributário. Assim, ao ser confessado, o criminoso deixa de ser penalizado.

Atualmente Geddel está em prisão domiciliar, em Salvador, acusado de tentar obstruir as investigações da Lava Jato. Ele teria feito ligações para a mulher de Lúcio Funaro para sondá-la sobre uma possível intenção do marido em delatar. Geddel nega todas as acusações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo