Entretenimento

Dinheiro é uma das principais causas do fim dos relacionamentos

4564ae164abba1bf25db6b71e7a6a691Problemas conjugais relacionados às crises financeiras são uma das principais razões dos divórcios no mundo. Essa é a conclusão de pesquisas feitas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e universidades norte-americanas que ouviram milhares de casais para definir o peso que o dinheiro exerce sobre uma união. Os estudos descobriram que, quando tudo vai bem, os casamentos são um mar de rosas. Mas, quando imprevistos acontecem, o casal passa a viver em pé de guerra.
O fotógrafo Almir Martins, 41 anos, sentiu na pele como um relacionamento pode ser afetado pela falta de dinheiro. Ele conta que seu namoro de oito meses chegou ao fim por causa dos atritos gerados a partir desse tipo de conflito. “Eu estava bem financeiramente quando começamos a namorar; ajudava com as contas da casa dela e tudo mais. Mas as coisas foram ficando ruins; não conseguia mais fazer tudo que vinha fazendo por ela e começaram as discussões, cobranças, troca de farpas, até chegar ao momento em que rompemos”, relembrou.
Almir não está sozinho nesse momento de desilusão. Estudo realizado pela Universidade de Michigan (EUA) acompanhou 373 casais que estavam no primeiro ano de casamento e tinham entre 25 e 37 anos. A pesquisa coletou, periodicamente, informações sobre as crises conjugais ao longo de 25 anos. A conclusão foi que 49% das pessoas que se divorciaram afirmaram ter muitas brigas por causa de perfis econômicos diferentes e mentiras sobre gastos. Além disso, o comportamento controlador exercido por aquele com a maior renda também foi apontado como determinante para o fim do “felizes para sempre”.
Adalberto e Ana Lúcia Aragão, 58 e 61 anos respectivamente, são casados há 32 anos e têm dois filhos. Elas dão a receita para enfrentar as crises e seguir com um relacionamento saudável. “Por conta da crise, a gente tem cortado o lazer. Todo ano fazemos viagens de carro pelo Brasil, mas, este ano, não fizemos e não vamos fazer por conta da crise”, contou ela. Adalberto é mais romântico: “A crise tem afetado muito nosso comércio. Diminuição de 20 a 30% no movimento. Deixamos de fazer alguns programas, mas a crise nunca vai afetar nossa relação porque ela é prioridade. O amor é prioridade pra gente.”
A psicóloga Kátia Abreu ainda alerta quais são os principais sinais de que algo não vai bem no casamento. “O casal costuma fazer atividades separadas, por exemplo, um vai dormir e o outro fica vendo TV. Isso também faz a libido diminuir e os momentos de carinho também. Por fim, as conversas acabam terminando em briga com muitas cobranças”, enumerou. Na Telinha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo