Cotidiano

Dilma diz ter sido cobaia de teste experimental para diagnóstico de doenças do Aedes

As intervenções públicas protagonizadas por Dilma são avaliadas como positivas pela população

DILMA - DEDO FURADOA presidente Dilma Rousseff revelou nesta quarta-feira (23) que participou de experimentos para o desenvolvimento do teste rápido para diagnóstico de dengue e zika. “Fiz o teste ainda em nível experimental. Furei o dedo como faz o teste de glicemia. É um teste rápido e efetivo e agora vai ser certificado.

Não tive problema por fazer o teste”, afirmou a presidente durante a apresentação do Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes Aegyti e à Microcefalia.

Leia mais

Os próximos 5 capítulos da crise política Brasileira

Líder do tráfico em Conquista é reconhecido e preso no show da Vingadora

Jorge Solla admite que houve manobra na nomeação de Lula

Dilma lembrou que, desde 2015, o Brasil tem buscado diminuir os casos e também combater o Aedes aegypti. Segundo ela, a parceria com governos estaduais e municipais tem sido essencial nesse “desafio de toda a comunidade internacional”.

A presidente disse ainda que, até o final de seu mandato, em 2018, serão investidos R$ 649 milhões em pesquisas. “Nosso objetivo é avançar no conhecimento do vírus zika, na oferta de diagnóstico, vacina e medicamentos”, disse. “Estamos na expectativa de uma vacina pentavalente. Quatro variedades da dengue e, quem sabe, a zika. A chikungunya ainda não. Se conseguirmos ela seria hexavalente ou sei lá”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar