Cotidiano

Demandas LGBTs será de responsabilidade da Secretaria Nacional de Proteção Global no governo Bolsonaro

A Medida Provisória MP de nº 870/19, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira (1), logo após tomar posse, gerou grande repercussão entre a população, no documento não aparecia a comunidade LGBT, (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros) nas politicas de diretrizes destinadas aos direitos humanos.

Na edição desta quinta-feira (3), do Diário Oficial da União, a comunidade foi citada, mantendo trecho de um MP editada por Michel Temer,  “coordenar as ações governamentais e as medidas referentes à promoção e defesa dos direitos de LGBTs”  e  “exercer a função de Secretaria-Executiva do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos de LGBT”.

 

A assessoria do Mistério da Mulher, Família e Direitos Humanos, informou ao portal Uol que a diretoria será mantida, porém na responsabilidade da Secretaria Nacional de Proteção Global. A pastora Damares, responsável pela pasta também confirmou a informação, segundo ela um pastor identificado por Sergio Queiróz, será responsável pela pasta.

 

O temor da comunidade é que pautas LGBTs não avancem no novo governo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios