PolíciaSlide

Delegada de Mutuípe fala sobre assassinato e tentativas de homicídios na cidade

Segundo informações da delegada, vítimas não estão prestando queixa na delegacia territorial.

A delegada de Mutuípe, Dr. Corina Lopez de Oliveira, comentou nesta terça-feira (8), sobre o crime passional contra a jovem Sandra Santos, na rua Clementino Santos, na sexta-feira à noite e da tentativa de homicídio contra um homem de identidade ainda desconhecida dentro da rodoviária da cidade na segunda-feira (7).

Segundo Lopez, a maioria dos casos não são denunciados a delegacia e que a Polícia Civil intima a vítima para que compareça à delegacia para formalizar a denúncia, o que muitas vezes não ocorre:

Eu tenho aqui uma pastinha de instigações, as últimas que eu estou fazendo aqui, aqueles primeiros tiros, nós já entramos com alguns pedidos, nós já temos algumas prisões, nós estamos no encalço desses indivíduos, que no momento não estão aqui na cidade, ou estão devidamente escondidos. Os últimos disparos também, nós ouvimos as vítimas, por incrível que pareça, nós é que vamos intimar para a vítima vim na delegacia, sofre a tentativa de homicídio e aqui não vem, e para a gente formalizar os pedidos, o inquérito policial por tentativa de homicídio, a gente que está indo buscar essas vítimas, teve até uma moça agora, que namorado sofreu tentativa de homicídio na frente do brega, ela foi para Salvador, recebeu um tiro na mão, ai eu perguntei: ‘cadê o relatório médico?’ E ela disse: ‘ah eu rasguei, eu não ia prestar queixa mesmo’, só que é um crime de ação pública não depende da vítima. A gente tem que buscar as providências, o crime é cíclico, não acontece um fato e acabou, se não, não teria segurança pública, é o dia-a-dia, nós lidamos com pessoas, cabeças a mil, cada um com um objetivo, tem muita gente ai só querendo ficar no tráfico de drogas, receber um dinheirinho fácil, regimentando mais crimes, é furto é roubo, e agora estão partindo, um querendo invadir o território do outro, e ai a modalidade, é tiro pra tudo que é lado, então se nos últimos tempos, se alguém estava pensando que a polícia estava de braços cruzados, não estávamos, estávamos investigando, buscando elementos, formalizando depoimentos, pedidos na justiça, isso é o que está sendo feito em Mutuípe. Disse a delegada.

Sobre o assassinato de Sandra Santos, Lopez declarou: “Segundo informes até agora, que chegou, tanto para a Polícia Militar, quanto ao nosso conhecimento é de que foi crime passional, a informação é que parece que eles se desentenderam em termo de relacionamento e ele efetuou esses disparos contra ela, culminando na morte de Sandrinha, e nós estamos levantando pistas, e até então sabíamos que era um indivíduo conhecido por Novato, eu acho que esse apelido porque ele era novato aqui na cidade, e nós estávamos na procura desse individuo, e ontem fomos surpreendidos com esse fato na rodoviária, e ai, realmente confirmou que esse indivíduo que estava na rodoviária, já com sua sacola, para seguir viagem, esperando o ônibus foi o autor do feminicídio, tendo como vítima Sandra.”

A comandante da Delegacia Territorial acredita que os tiros relatos nas últimas semanas tenha relação com o tráfico de drogas: “Eu creio que muitas desavenças tenha relação com o tráfico de drogas, infelizmente na zona rural também temos muitos pontos, as vezes as pessoas informam, mas quando a polícia vai não encontra naquele momento, eu peço que as pessoas continuem denunciando à delegacia, à policia Militar, para que a gente vá fechando, pois a droga também é cíclica, não para“. Completou ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo