Cidades

Delator liga Renan e Jucá a cartel, afirma revista

O presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), e o senador Romero Jucá (RR), ambos do PMDB, receberam propina no mesmo esquema do setor elétrico que teria beneficiado o ex-ministro das Minas e Energia Edison Lobão, segundo reportagem publicada na edição desta semana da revista Época. Os três, de acordo com a revista, aparecem em investigações da Procuradoria Geral da República e da Polícia Federal sobre desvios na construção da usina nuclear de Angra 3. A reportagem informa que o empreiteiro Ricardo Pessoa, dono da UTC, se encontrou com o presidente da Eletronuclear, almirante Othon Pinheiro, às vésperas das eleições do ano passado, na qual foi pressionado a pagar propina a senadores do PMDB.
 
No momento do encontro, contratos que somavam R$ 3,1 bilhões estavam prestes a ser assinados com o consórcio de empreiteiras que tinha a UTC entre os componentes. Além das pressões de Pinheiro, Pessoa relatou, em sua delação premiada, que Renan, Jucá e Lobão negociaram diretamente o recebimento de propinas. Renan, em um jantar em 2014, teria pedido R$ 1,5 milhão em forma de doação oficial para sua campanha.
 
Veja também
Foragida há 15 dias, prefeita ‘ostentação’ tem mandato cassado
Bandidos são cercados pela polícia e queimam dinheiro roubado
Vitória perde para o Botafogo e segue sem vencer no 2º turno
Jucá, por sua vez, teria solicitado verba para a campanha de seu filho, Rodrigo Jucá, candidato a vice-governador de Roraima. Já Lobão teria pedido um “adiantamento”, que foi pago em espécie, no valor de R$ 1 milhão.  Renan não comentou as denúncias, mas a equipe de defesa do parlamentar considera que a delação de Pessôa é fantasiosa e baseada em ilações.

Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo