Entretenimento

Deixar criança no berço, como Fernanda, não é negligência, diz pediatra

A atriz Fernanda Machado compartilhou no Instagram, na última quarta-feira (25), um vídeo do filho Lucca, de um ano e sete meses, dormindo sozinho no berço. Nos comentários, a atriz recebeu muitas críticas e até foi acusada de “torturar” o menino. “Ontem postei um vídeo do Lucca dormindo em pé no berço. Ele sempre vai pro berço depois do mamá, sonolento, mas acordado, e lá ele brinca, faz uma ginástica do sono que eu adoro assistir pelo monitor. […] No meio dessa ginástica ele levantou e tava tentando se equilibrar dormindo, sem choro, só tentando ficar em pé enquanto dormia, coisa mais fofa. Mas fui acusada de estar torturando meu filho, deixando ele sozinho no berço, de estar colocando ele em risco, de não amá-lo, de não dar colo”, desabafou na rede social.

De acordo com os especialistas ouvidos pelo UOL, a atriz foi mal interpretada por seus seguidores nas redes sociais. “Antes de crucificar ou agredir alguém, é interessante entender melhor a situação. A cama compartilhada é uma possibilidade, mas ninguém é mais mãe ou menos mãe ou dá mais ou menos carinho só porque faz”, explica o pediatra e presidente do Departamento de Aleitamento Materno da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), Moises Chencinski.

Por que acham a crítica injusta

Na opinião de Renata Scatena, pediatra especialista pela SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), a postagem da atriz foi mal interpretada por críticos de uma corrente que defende que as crianças devem aprender a dormir sozinhas pelo choro. “A ideia é que a criança vai ficar chorando sozinha no berço até a exaustão e depois dormirá. Ela vai se acostumar com isso e uma hora vai parar de chorar”, explica a pediatra.

No entanto, não foi o que aconteceu com Lucca, como a atriz descreveu, o menino despertou sem choro. “Acho que, na verdade, a crítica que foi dirigida a ela, era para esses médicos que ainda defendem essa prática. Você pode ensinar a criança a dormir sozinha sem ser por choro forçado. Realmente, não pode faltar colo, afeto e supervisão de um adulto durante todo o processo de aprendizado, que é naturalmente difícil”, explica.

O fato de a criança ter ficado “dormindo em pé” causou indignação em algumas pessoas, mas o pediatra explica que é completamente normal isso acontecer. “Algumas crianças se mexem enquanto dormem: algumas sentam, outras ficam em pé, mesmo dormindo. É uma ação do sono que acontece tanto na cama compartilhada quanto no berço”, diz Chencinski. As informações são do Uol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo