Esportes

Dado Cavalcanti agradece ao Bahia e elogia diretoria em despedida

O técnico Dado Cavalcanti também se pronunciou sobre o fim do time de transição do Bahia. O treinador, que deixou o clube com o encerramento do seu contrato, divulgou uma carta de despedida.

Dado destacou os objetivos alcançados com a equipe e enalteceu o trabalho da diretoria tricolor. “Clube está em ótimas mãos”, disse.

Leia a carta na íntegra abaixo:

“Quero agradecer enormemente a direção do EC Bahia por esse período em que tive a oportunidade de trabalhar no Clube. Nesses doze meses pude ver bem de perto o gigantismo e a estrutura do Bahia e o fanatismo da torcida tricolor.

Os objetivos planejados para a Equipe de Transição foram atingidos e, em alguns momentos, superados. Chegamos em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro de Aspirantes. No Campeonato Baiano, até a paralisação da competição, na sétima rodada, permanecemos na liderança com 15 pontos em 7 jogos. Mantivemos também a invencibilidade com a defesa menos vazada, o melhor ataque e vencemos o clássico estadual fora de casa.

Neste trabalho também pudemos colocar à disposição do técnico Roger Machado, da equipe principal, jovens atletas em condições de contribuir com o processo desportivo e de retroalimentação financeira do clube.

Todos nós sabemos das dificuldades que a pandemia do coronavírus impôs a todos os seguimentos da sociedade e entendo tudo que a diretoria do Bahia é obrigada a fazer para preservar a saúde financeira do Clube.

Estávamos negociando a renovação do meu contrato, mas a situação financeira mudou.

Fica meu sentimento do dever cumprido e o agradecimento pela grande oportunidade que tive como treinador da Equipe de Transição.

Quero agradecer também a todos os profissionais com quem tive o prazer de trabalhar, aos atletas, aos demais setores do Clube e à diretoria.

Tenho a certeza que pelo nível das pessoas responsáveis pelo Bahia, o Clube está em ótimas mãos.

Dado Cavalcanti”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo