Cotidiano

Crivella perde foro e caso ‘QG da Propina’ vai para Justiça comum

Conhecido como “QG da Propina”, o caso que levou à prisão o então prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella, será deslocado do 1º Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio para a primeira instância. A informação é do jornal O Globo.

A desembargadora Rosa Helena Macedo Guita determinou que os autos sejam redistribuídos na próxima quarta-feira (6) à 1ª Vara Criminal Especializada de Combate ao Crime Organizado. A decisão se deve ao fato de que, fora do cargo de prefeito, Crivella deixa de ter foro na segunda instância.

Crivella, que está em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica, é acusado de comandar um esquema de liberação de pagamentos a credores da prefeitura em troca de propina. Na prática, a redistribuição do caso apressa a decisão judicial de admitir ou não a denúncia apresentada pelo Ministério Público estadual (MPRJ) contra os 15 envolvidos, tornando-a ação penal e transformando os acusados em réus. No 1º Grupo de Câmaras Criminais, seria submetida ao colegiado de desembargadores. Na primeira instância, só depende do juiz.

Bahia.ba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo