Geral

Criticar monarquia na Espanha será considerado terrorismo a partir de julho

PROTESTO - ESPANHAA partir de 1º de julho será proibido criticar a Coroa espanhola nas redes sociais, sob pena de ser enquadrado como terrorista. O novo artigo do código penal foi proposto pelo rei Felipe VI e aprovado pelo Parlamento.

O projeto determina que a tentativa de invasão de computadores e redes de segurança do governo e a crítica aberta ao rei e à família real serão consideradas terrorismo cibernético. Com o decreto, a Espanha fecha o cerco para a livre manifestação de opinião de pensamento. Há exatos doze meses, em junho de 2014 um decreto proibiu as manifestações contra a monarquia, sob pena de multa e reclusão.

Em março deste ano, de acordo com o Opera Mundi, os parlamentares proibiram as manifestações e impediram as pessoas de ficarem paradas na porta do Parlamento. A divulgação de nomes e rostos de policiais violentos e de imagens de agressões vindas das forças de segurança também foi proibida.

A pena pra quem for flagrado se manifestando na porta do Parlamento ou em outros espaços públicos, que não sejam previamente autorizados, terá que pagar uma multa de 30 mil euros (R$ 100 mil) e, se for reincidente, pode ser condenado à prisão por um ano. A legislação é conhecida pelos opositores como “lei mordaça”, que a consideram uma ameaça a protestos políticos e ambientais no espaço público.

Como crítica ao decreto, uma manifestação apenas com hologramas foi feita na porta do Parlamento em abril. O movimento ‘No Somos Delito’ (Não somos crimes, em português) lançou o site ‘Hologramas pela Liberdade’ para juntar forças nas manifestações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo