Cotidiano

Coronel confirma que foram discos voadores que pousaram em floresta inglesa em 1980

3r1lgp0bzv_4hnbzt6sb6_fileO mistério do UFO de Suffolk é o equivalente ao Roswell inglês: cercado de mistérios e com uma participação sinistra do governo. Tudo começou em 1980, em uma floresta escura. Diversas testemunhas afirmam terem visto um “disco voador de grandes proporções” pousar de forma abrupta em uma floresta de Suffolk, perto de uma base do governo. O que parecia lenda agora ganha contornos realistas quando um ex-coronel da Força Aérea Real britânica.
Charles Halt virou um especialista informal no assunto, quando juntou uma pancada de informação sobre o ocorrido e afirmou: era sim um disco voador.
As declarações dele caíram como uma bomba na comunidade de ufólogos e militares locais. Halt afirmou que só veio a público agora em definitivo após conseguir conversar com os operadores de radar trabalhando aquela noite. Segundo ele, as conversas foram “reveladoras” e suficientes para dizer com segurança que foi um disco voador que caiu em Suffolk
Na época do ocorrido, Halt era vice-comandante da base de Woodbridge, a mais próxima do local e foi um dos militares que deram depoimento que serviram como base para ampliar o mistério com relação ao pouso.

Hoje, aos 75 anos e morando na Virgínia, Estados Unidos, o oficial falou à BBC sobre o caso e reafirmou que nunca deixou de achar que se tratasse de um disco voador.

O que quer que fosse o objeto, é definitivo que ele estava sob controle inteligente”, afirma na entrevista para a rede britânica. Para deixar tudo mais intrigante, o disco voador estava a “milhares de quilômetros por hora”, uma velocidade considerada “insana”. Já o governo britânico desconversa. O Ministério da Defesa do país, por exemplo, afirma que não lida mais com relatos de óvnis

Os ufólogos dizem que o governo ficou todo esse tempo escondendo o relato para evitar que a verdade “viesse à tona”, o que dura até hoje.

E como agora existe relatos de operadores de radar, a versão do governo cai por terra, já que eles afirmaram na época que tudo não passou de “pessoas interpretando erroneamente luzes de farol utilizados na base local”.

Os memorandos da época relembram os detalhes do incidente assustador! Halt e outros dois operadores da base escreveram nos relatórios que “avistaram luzes não identificados.

Segundo os relatórios, o objeto emitia luzes e tinha cerca de três metros de diâmetro. Ele teria pousado na floresta de Suffolk e deixou três buracos uniformes no chão após o pouso, todos fotografados e anexados ao relatório. Equipamentos militares também registraram uma alta taxa de radiação no momento do pouso. Mas após o avistamento o governo lançou uma cortina de fumaça sobre o caso e nenhum registro foi divulgado

Obviamente o caso se tornou um dos favoritos dos ufólogos. Tanto pela taxa de evidências físicas, quanto pelo apoio de alguns militares. Na época, até a polícia de Suffolk entrou no caso, mas não descobriu muita coisa. Mas conseguiu colher um monte de depoimentos envolvendo testemunhas do avistamento e pessoas que não viram os discos voadores, mas se sentiram mal pela proximidade do UFO com a área. Agora o caso promete ter uma reviravolta, com as novas provas. Os investigadores afirmam que as evidências de radar são a prova que faltava para reabrir as investigações e analisar os arquivos. De qualquer forma, a floresta de Rendlesham, em Suffolk, virou um ponto turístico de ufólogos no local. Siga-nos no twitter no facebook 

Foto: Reprodução/Ghost Theory/R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo