Cotidiano

Comissária de voo da Chapecoense diz que não tem como pagar clínica em que foi atendida

A comissária de voo Ximena Suárez, única mulher que sobreviveu à queda do avião que levava a delegação da Chapecoense para jogar a final da Copa Sul-Americana, na Colômbia, revelou que está sendo cobrada pela clínica Somer, em Medellín, onde foi socorrida. De acordo com a revista Exame, ela não tem condições de arcar com a conta que deveria ter sido sanada pela agência seguradora do voo. “Fico triste em saber que o pessoal do meu país não me ajuda. Sugeriram que eu pressionasse para ver quais são as novidades, porque até agora não há resposta”, explicou em entrevista à TV boliviana Unitel. Por meio do seu advogado, a aeromoça deverá acionar a companhia seguradora pela omissão no caso. “Estamos apresentando uma denúncia contra os executivos da Bisa [seguradora em questão] para que o Ministério Público exija a sua apreensão. Para que eles cumpram com responsabilidades não só com ela, mas também com as outras vítimas do acidente”, afirmou. As informações são do Bahia notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo