Esportes

Com fronteira fechada, veja o que Palmeiras terá que fazer para entrar na Argentina

Com um protocolo rígido de proteção a sua população, o governo argentino decretou o fechamento de suas fronteiras entre os dias 25 de dezembro até 8 de janeiro de 2021. Porém, um acordo feito entre a CONMEBOL e os governos dos dez países do nosso continente fará com que as semifinais da Copa Libertadores 2020 não sejam afetadas. As informações são do Blog do Marcel Rizzo, do UOL.

O Palmeiras enfrenta o River Plate no dia cinco de janeiro, em Buenos Aires, em jogo válido pela semifinal da competição continental. Porém, para entrar no país vizinho, a delegação alviverde terá que cumprir com algumas obrigações:

– Testes PCR para Covid-19 negativos para todos os membros da delegação em exames realizados até 72 horas antes da viagem. Esta já era uma exigência feita pela confederação desde a retomada da Libertadores, em setembro.

– Os clubes terão que providenciar seguro-viagem que cubra gastos com possíveis internações por Covid-19 para todas as pessoas que viajarem.

– O voos serão fretados, com listagem de todos os passageiros e exames negativos providenciados para que a entrada especial seja liberada em Buenos Aires. Delegação deve deixar aeroporto sem passagem pelo saguão e seguir com ônibus direto a hotel.

– A CONMEBOL multará em até US$ 30 mil (R$ 150 mil) caso algum membro da delegação deixe o hotel que não seja para treino ou jogo, ou receba visita de terceiros não autorizada no local da concentração. Esta foi uma das exigências de alguns dos governos, entre eles o argentino, para fechar acordo em setembro de permissão da entrada de delegações mesmo com a fronteira fechada.

Como já consta no regulamento da CONMEBOL pós-Covid, o Palmeiras poderá ficar somente 72 horas em solo argentino e não fará o reconhecimento do gramado do estádio Libertadores de América. Por causa de reformas no Monumental de Nuñez, o River Plate está mandando os seus jogos na casa do Independiente-ARG.

No decreto feito pelo governo da Argentina, estrangeiros que queiram entrar no país teriam que apresentar o PCR negativo, além de ficarem dez dias em isolamento social antes de poder circular pelo país, porém, essa exigência não será feita com os clubes, que terão que garantir que toda a delegação só ficará nas dependências de hotel, estádio e aeroporto, para o embarque de volta ao Brasil.

Pelo protocolo da CONMEBOL, caso o governo argentino não aceitasse a entrada dos clubes brasileiros, River Plate e Boca Juniors teriam que mandar os seus jogos em países vizinhos, o que poderia ser um grande problema para os dois semifinalistas argentinos.

Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo