Política

Ciro usa fala de Geraldo Júnior para criticar aliança entre PT e MDB na Bahia

Pré-candidato à Presidência pelo PDT, o ex-governador do Ceará Ciro Gomes criticou na noite desta quarta-feira (5) a aliança formada pelo PT com o MDB da Bahia. Durante o programa “Ciro Games”, o pedetista exibiu vídeo com parte da coletiva em que a aliança foi anunciada, na semana passada, em Salvador. O trecho selecionado foi justamente quando o presidente da Câmara Municipal da capital, o emedebista Geraldo Júnior, chama pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima, emendando um constrangedor “está escondido” ao ouvir que o cacique do partido não estava na sala.

“Esse que pergunta cadê o Geddel é o futuro candidato a vice-governador na chapa do PT, apadrinhado dele, Geddel. Isso aconteceu no dia em que foi firmada a aliança com o PT. Geddel preferiu sair de mansinho. É assim que vamos acabar com a corrupção e a roubalheira no Brasil?”, questionou Ciro.

O presidenciável exibiu ainda uma notícia com a seguinte manchete: “Sob a benção de Lula, PT da Bahia perdoa MDB por impeachment e firma aliança”. Ciro acusou Lula se unir à “mesma turma do petrolão” e disse que, na Bahia, o MDB é comandado pelo “homem das malas abarrotadas de dinheiro, aqueles R$51 milhões”, numa referência aos valores encontrados pela Polícia Federal em um apartamento em Salvador, em setembro de 2017, no episódio que resultou na condenação de Geddel por lavagem de dinheiro.

“Lula foi lá e agarrou-se com ele (Geddel), fizeram um acordo. PT e MDB da Bahia, onde o PT tem o governo do estado. Será que precisa dizer mais alguma coisa?”, complementou Ciro Gomes, que tem se colocado como candidato da terceira via.

Bnews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo