GeralNotícias

Ceplac anuncia nova “arma” para combate à vassoura-de-bruxa

tricovab_01A Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira anuncia o lançamento do biofungicida Tricovab, uma das principais armas no combate à vassoura-de-bruxa e poderoso aliado no processo de retomada da produção e produtividade da lavoura de cacau na Bahia.  A apresentação oficial do produto será feita no Dia Internacional do Cacau, no próximo dia 16, quando serão explanados os benefícios do agente biológico.

O Tricovab é um agente natural, desenvolvido a partir do fungo Trichoderma stromaticum, antagônico ao Moniliophtora perniciosa, que provoca a vassoura. É uma solução desenvolvida pelos pesquisadores da Ceplac e  representa, além do controle biológico da vassoura-de-bruxa, a garantia da correção ambiental, já que até sua embalagem é biodegradável, não oferecendo riscos à saúde das pessoas nem ao meio ambiente.

“A Ceplac dá à sociedade uma resposta efetiva na questão da sanidade vegetal. Porém, muito mais que isso, com um produto ambientalmente correto, proporciona um ganho efetivo na relação meio ambiente/lavoura e, ainda, abre a possibilidade de aumento da renda do produtor, com a possível maior produtividade. Isso tudo vai gerar mais emprego no campo. Com esses fatores assegurados, estaremos garantindo a sustentabilidade do agronegócio cacau, em outra frente, para além das fronteiras do cacau-cabruca”, avalia o suprintendente da Ceplac na Bahia, Juvenal Maynart.

Produção e distribuição

Pesquisadores e extensionistas da Ceplac definiram uma estratégia de distribuição do Tricovab para os produtores rurais da região, a partir dos núcleos e escritórios do órgão espalhados pelo território baiano. Serão distribuídos 10.240 quilos do biofungicida, para os produtores indicados pelos técnicos, desde que adotem o pacote tecnológico recomendado pela Ceplac. Serão contempladas 640 propriedades (dois hectares por fazenda) em 30 municípios, perfazendo um total de 1.280 hectares, que receberão quatro aplicações de dois quilos por hectare, o que resultará no consumo dos 10.240 quilos do produto.

De acordo com o chefe do Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec), Adonias de Castro, a produção é feita a partir da fermentação do fungo Trichoderma stromaticum em laboratório. “O fungo é colonizado em grãos de arroz. Quando em contato com a água que será utilizada para a aplicação, o fungo é ‘ativado’ e, nas plantas, se transforma no inimigo natural do Moniliophtora perniciosa, que causa a vassoura-de-bruxa”.

Domingos Matos
Jornalista da Sueba – Superintendência da Ceplac na Bahia

Almeida Notícias com informações da Assessoria de Comunicação da Ceplac

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo