Cidades

Caso Yokoshiro: Pai já tinha deixado garoto sozinho em casa outras vezes

GUILHERME OLIVEIRA E RAFAEL YOKOSHIRORafael Yokoshiro afirmou, em depoimento à polícia civil, que já tinha saído e deixado seu filho sozinho outras vezes em casa. Guilherme Yokoshiro morreu no último dia 24 ao cair do sexto andar do prédio onde morava, no bairro de Brotas.

O garoto tinha cinco anos. De acordo com o G1, Rafael Yokoshiro foi ouvido pela delegada Maria Dail Rodrigues, titular da 6ª delegacia de Brotas, em Salvador. Ele foi acompanhado de uma prima, que é advogada, e de outro advogado, mas não falou com a imprensa. O depoimento durou cerca de duas horas. “Foi abandono de incapaz.

A gente não pode negar”, afirmou a delegada. “Ele deixou a criança sozinha e assumiu que saiu, poucas vezes, em casos esporádicos, mas saiu, e deixou a criança sozinha. Isso não deixa de ser um alerta para que as pessoas não deixem as crianças sozinhas”, disse a delegada. O porteiro do prédio tinha dito em depoimento que o pai do garoto já tinha saído outras vezes durante a madrugada.

De acordo com Dail, Rafael Yokoshiro não detalhou no depoimento o motivo pelo qual teria saído de casa. Também não contou a versão de que teria saído de casa em busca de atendimento médico por conta de dores na perna, versão que ele relatou para familiares. “Ele ainda está abalado, teve um pequeno desmaio durante o depoimento. Ele disse que tem o direito de não falar, que só vai falar em juízo porque foi instrução dos advogados. Vou analisar o caso, mas a sentença já foi dada a partir do momento que perdeu o filho. Ele disse que não usa drogas, que não bebe, que é um homem ‘família’ e que está disposto a passar por um teste toxicológico”, disse Dail.

BN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo