Cidades

Casal usa fortuna de R$ 27 milhões para resgatar náufragos no mar

crianca - naufragosO casal Christopher e Regina Catrambone usou metade de suas economias, avaliada em R$ 27 milhões, para criar uma ONG que resgata náufragos no mar. A Migrant Offshore Aid Station (Moas) foi a primeira organização a ir ao mar fazer o resgate. “Já havia instituições ajudando os migrantes na Europa, mas as pessoas estavam morrendo no mar e ninguém estava fazendo nada.

Se os governos não agem é responsabilidade da sociedade civil responder”, afirmou Regina à BBC Brasil. Criada em 2014, a Moas lançou no Mediterrâneo uma embarcação de 40 metros, a Phoenix, equipada com botes infláveis, satélites, dois drones, clínica médica e coletes salva-vidas. Nos primeiros seis dias de operação, três mil pessoas foram resgatadas. Desde o lançamento de suas operações, a Moas resgatou 11 mil pessoas no Mediterrâneo.

Até o ano passado, a família custeava as despesas da Moas, mas no começo deste ano conseguiu apoio após fechar parceria com a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF). O custo de manter o Phoenix no mar supera 500 mil euros por mês. Além dos recursos, a Moas arrecadou 1 milhão de euros por meio de doações de todo o mundo. A onda de doações foi motivada pelo caso do menino sírio Alan Kurdi, morto em um naufrágio no Mediterrâneo.

Com o aumento na arrecadação, a Moas pensa em estender suas operações de busca e resgate no mar. “Tínhamos nos planejado este ano para ficar no mar até outubro. No ano passado, ficamos apenas três meses. Sempre de acordo com o que podemos arcar de custos. Agora, acredito que a Moas deve ser uma missão de 12 meses”, disse Regina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo