Slide

Camamu: TRE mantém cancelamento de eleição; futuro presidente da Câmara governará cidade

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) manteve na manhã desta terça-feira (18) o cancelamento das eleições municipais de Camamu, no sul baiano. A corte negou ação cautelar impetrada pela vencedora do pleito Emiliana Assunção (PP). Os juízes seguiram, em unanimidade, o voto do relator, Roberto Maynard Frank, que manteve a decisão do juiz da 78ª Zona Eleitoral, em Camamu, João Paulo Guimarães Neto. No pleito de outubro último, mais de 50% dos votos foram para candidatos que tiveram as candidaturas indeferidas pela Justiça Eleitoral. Dos 18.406 eleitores que compareceram às cabines de votação, 5.993 votaram em Emiliana. Américo José da Silva (PSD)  ficou em segundo lugar com 5.729 votos (31,13%) e Ioná Queiroz Nascimento (PT) obteve 4.128 sufrágios (22,43%). A soma de Américo e Ioná chega a 53% dos sufrágios considerados nulos.  Ainda conforme decisão do juiz da comarca local, apenas os vereadores eleitos serão diplomados e empossados. O presidente da Câmara que for escolhido pela maioria dos edis, automaticamente, assume a prefeitura até o TRE-BA definir a data do próximo pleito. Dos seis postulantes, apenas Emiliana, que substituiu o marido Zequinha da Mata (PP) na véspera da eleição, e Chico Vasconcelos (PMDB) poderão se candidatar novamente. Américo, Ioná e Zequinha da Mata estão inelegíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo