CotidianoSlide

Cadê os fios que estavam aqui?

Apesar de ser mais comum no sexo masculino, as mulheres também tendem a apresentar uma queda severa dos fios. Uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Cabelo, indica que 50% das mulheres sofrem com o problema em algum momento da vida.

Segundo o  Dr. Júlio César Yoshimura, Cirurgião Plástico, a calvície feminina
ou Alopecia Androgenética, pode estar ligada a diversos fatores, como uma
alimentação inadequada, a inflamação do couro cabeludo, causada por
bactéria e ainda por questões hormonais, como exemplo, os ovários
policísticos.


Além do mais, podemos considerar a predisposição genética, algumas
mulheres podem estar propensas a Alopecia e outras não. Sem esquecer das doenças, como a Sífilis, a Anemia, as alterações na Tireoide- Hipotireoidismo e Hipertireoidismo -, e o estresse, como fatores que causam a queda progressiva dos fios.

A situação é mais comum quando as mulheres entram na menopausa, pois os níveis de estrogênio tendem a cair. Os casos variam com fios pequenos e
rarefeitos ou até o aparecimento total do couro cabeludo.


É normal que uma pessoa perca de 100 a 120 fios de cabelos diariamente,
porém, a procura por um médico deve ser considerada logo quando aparecem outros sinais. “Surgem fios nos travesseiros, na mesa do trabalho, nas roupas.

Esses são indícios imperativos para iniciar uma investigação minuciosa do
folículo capilar, dos traços da personalidade, seus hábitos e assim traçar um diagnóstico real para a Alopecia e um respectivo tratamento”, detalha o Dr. Júlio César Yoshimura.

Fonte: Pixabay

COMO TRATAR A CALVÍCIE FEMININA

O Portal Mídia Bahia traz alguns tratamentos existentes para Calvície
Feminina. Dentre eles, existe o Transplante Capilar, a Carboxterapia e os
Tratamentos Medicamentosos. Com essa gama de recursos e intervenções,
ficar sem as madeixas, que acarreta até os problemas de autoestima e de
visual, agora é uma opção. Acompanhem:

Transplante Capilar: Atualmente é feito por meio de duas técnicas. A primeira chamada de FUE (Follicular Unit Extraction), é mais simples, pois são retiradas pequenas unidades ou grupos de folículos pilosos e inseridos nas áreas calvas. A cicatrização é mais rápida e sem marcas.Já na Técnica FUT (Follicular Unit Transplant) é mais invasiva, porque para
cobrir uma área é feita a extração da faixa de fios em uma única incisão
contínua, o que acarreta uma cicatriz aparente no couro cabeludo. O
método gera desconforto e limita os tipos de corte.


Carboxterapia: O gás carbônico é aplicado com uma agulha e o
procedimento é praticamente indolor. Com esse processo ocorre a
melhora e a irrigação dos folículos pilosos. Os vasos, que antes estavam parciais ou completamente inativos, são estimulados fazendo com que a queda diminua e ocorra o crescimento dos fios. Para o surgimento dos primeiros resultados, são necessárias a realização de 10 até 20 sessões.

Tratamento Medicamentoso: Para alguns pacientes são recomendados
o uso dos medicamentos fitoterápicos ou não. Já existem remédios
somente para o uso feminino. A utilização, com recomendação e
acompanhamento de um médico ou profissional capacitado, promovem o
crescimento e o fortalecimento dos fios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo