Saúde

Brasil registra 360 mil casos de sífilis em 36 meses; veja sintomas

Médicos acreditam que número de contaminados seja bem maior.

Ao longo de 36 meses, o Brasil registrou mais de 360 mil casos de sífilis entre janeiro de 2018 e junho de 2020, os dados foram apurados junto ao Ministério da Saúde. Médico acreditam que esse número não retrata a realidade do país, isso por conta da pandemia da covid-19, onde muitos exames e consultas ficaram em segundo planto, tanto do ponto de vista da política de saúde pública, bem como do temor da população em permanecer em unidades de saúde.

Especialistas da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que fizeram o levantamento a partir de bases do Ministério da Saúde, suspeitam que milhares de pacientes não procuraram os serviços de saúde ao manifestarem sinais e sintomas dessa doença.

“Muita gente não tem conseguido ou tem receio de agendar consultas por causa da covid-19. Há, por exemplo, a diminuição de pré-natal entre as mulheres. Outro ponto é que não temos uma busca ativa de contactantes no Brasil”, disse o coordenador do Departamento de IST & Aids da SBD, Márcio Soares Serra.

“Além disso, apesar da sífilis ser uma doença de notificação obrigatória, nem sempre isso é feito. Somados, todos esses fatores podem complicar ainda mais nossa situação epidemiológica”, completou.

O que é a sífilis?

A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível (IST) causada por um tipo de bactéria conhecida como Treponema pallidum.

Sua principal forma de transmissão é através de uma relação sexual sem camisinha, mas é possível ser adquirida, mais raramente, pelo contato com sangue contaminado como nas transfusões sanguíneas ou durante o parto.

A doença tem várias manifestações clínicas e diferentes estágios. No início, pode ser imperceptível e, em alguns estágios, apresentar feridas que desaparecem sozinhas, causando a falsa sensação de cura.

Essas pequenas feridas indolores podem aparecer nos órgãos sexuais, reto ou dentro da boca.  O problema é que muitas vezes as pessoas não percebem isso imediatamente.

Cerca de oito semanas após a infecção, podem aparecer manchas vermelhas pelo corpo, aumento de gânglios e febre. Essa é a chamada fase secundária da sífilis.

Diagnóstico gratuito no SUS

O teste rápido de sífilis está disponível gratuitamente pelo SUS, nas unidades básicas de saúde. O resultado sai em até 30 minutos. Esse teste também detecta HIV, hepatite B e hepatite C.

Prevenção e tratamento

A sífilis tem cura, mas, se não tratada a tempo, traz sérias consequências para a saúde, podendo, inclusive, ser fatal.

O tratamento também é ofertado gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e melhora a qualidade de vida do paciente, além de interromper a cadeia de transmissão.

O uso correto e regular de preservativo é uma medida importante de prevenção da doença. As informações são do Catraca Livre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo