Notícias

Bolívia: Patrimônio de Evo pula de US$ 110 mil para US$ 388 mil em seis anos; presidente atribuiu ‘presentes’ recebidos

O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou nesta sexta-feira (10) que os responsáveis pelo aumento líquido de seu patrimônio em 253% desde que chegou ao poder em 2006, são devido aos presentes que ganha. “Que culpa tenho eu? Se o povo vai me presenteando e presenteando, o patrimônio vai seguir aumentando”, questionou em discurso no centro-sul do país. Evo deu como exemplo os ponchos, abrigos feitos a mão, tradicionais dos Andes, e uma de suas marcas desde que chegou ao poder. Só em ponchos que ganhou de presente ele calculou ter US$ 100 mil – cerca de 500 peças, cada uma avaliada por ele em US$ 200. A controvérsia sobre o patrimônio do mandatário boliviano começou na semana passada, após a Controladoria-Geral do país divulgar que seu patrimônio cresceu do equivalente a US$ 110 mil em 2006 para US$ 388 mil neste ano. A agência oficial de notícias ABI citou os números e argumentou que o patrimônio do presidente cresceu “fundamentalmente pela revalorização de seus bens e pela somatória dos 88 salários, incluindo 13º”. Segundo o governo, o ex-líder sindicalista cocaleiro possui uma casa na cidade de Cochabamba, uma propriedade na região cocaleira do Chapare (centro do país) e um pequeno rebanho bovino em sua cidade natal, Orinoca. Quando assumiu a Presidência, Evo reduziu o próprio salário de US$ 4.300 para US$ 2.100, um dos mais baixos da região (a presidente Dilma Rousseff ganha cerca de US$ 10 mil). A oposição pede esclarecimentos sobre o aumento de bens do presidente e diz que a explicação do governo, sobre a poupança dos salários de Evo, é inconsistente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo