Cidades

Articuladores de Neto descartam enfraquecimento político após chuvas

ARTICULADORES - ACM NETOSArticuladores do governo ACM Neto (DEM) descartam a possibilidade da imagem política do prefeito ser afetada após as chuvas que atingiram Salvador em dois momentos diferentes de abril. “Não vejo de forma alguma como fazer utilização disso de forma politiqueira”, afirmou o líder do governo na Câmara Municipal, Joceval Rodrigues (PPS). Nesta segunda-feira (27), choveu 198mm, mais da metade do previsto para todo o mês de abril, 309 mm. Deslizamentos de terra no Marotinho, em Bom Juá, e na localidade Barro Branco, na avenida San Martin, vitimaram faltamente pelo menos 11 pessoas e deixaram oito feridos. Em 9 de abril, a capital baiana passou pelo mesmo momento crítico com as chuvas, cujo volume de água em 24 horas atingiu a marca dos 100 mm. “Claro que a cidade como um todo sente, especialmente no dia de hoje [ontem, 27], quando teve situações de óbitos que no primeiro dia não aconteceu. Mas a população tem percebido o empenho da prefeitura, o trabalho que a prefeitura tem realizado como um todo, não só o prefeito, mas todos os órgãos competentes, atuando de maneira objetiva para que os problemas sejam minimizados o máximo possível”, ponderou o secretário de Relações Institucionais, Heber Santana. Os articuladores de Neto têm se confiado na “geografia” da cidade, nas “ocupações desordenadas que vêm acontecendo há mais de 30 anos” e no ineditismo das chuvas, que não caem com esta intensidade “há mais de 21 anos”. “Não vejo como fenômenos naturais vão intervir efetivamente na eleição de 2016. Não consigo ver dessa forma. Depois, a população reconhece pelas pesquisas de opinião a gestão que o prefeito vem fazendo. Foram gastos mais de R$ 150 milhões em contenção de encostas, em limpeza de canais, em todo o trabalho de prevenção”, analisou o vice-líder do governo na Câmara, Léo Prates (DEM). O vereador acredita que a população “vai saber reconhecer o trabalho que o prefeito ACM Neto está fazendo”, entre eles os milhões de reais gastos no plano emergencial pós-chuvas para a infraestrutura da cidade e para as pessoas que tiveram perdas materiais – deve ser encaminhado à Câmara Municipal de Salvador nesta terça-feira (28) um projeto de lei instituindo apoio financeiro para as famílias atingidas por calamidades. “Acho que as pessoas que fazem política na nossa cidade têm maturidade suficiente pra entender que isso não é um aspecto político. A cidade precisa de ações, tem feito ações, mas tenho certeza que isso não vai ser utilizado no campo político, até em respeito dessas vidas que se perderam”, finalizou Santana.

BN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo