BrasilGeral

‘Alerta Celular’: SSP lança plataforma para agilizar recuperação de aparelhos roubados

Se tornou comum uma pessoa ter um celular roubado ou pelo menos conhecer alguém que já passou por uma situação dessa. Somente neste ano, de janeiro a abril, a Bahia registrou 10 mil ocorrências de tentativa, roubo ou furto de aparelhos celulares. Diante disso, a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) lançou uma plataforma que vai possibilitar a recuperação de celulares roubados de forma mais rápida.  

O “Alerta Celular” já está disponível a partir desta terça-feira (11). A intenção é também de dificultar o comércio ilegal de aparelhos roubados. A ferramenta foi apresentada durante coletiva de imprensa concedida pela SSP.

Na plataforma, o cidadão deve cadastrar o número de IMEI do aparelho e em caso de roubo acionar em até 48 horas. A SSP destaca o cadastro precisa ser feito por um maior de idade e que, em caso de roubo, o alerta deve ser feito pelo próprio cidadão e está vinculado ao registo da ocorrência na delegacia digital ou em unidade da Civil mais próxima.

Policiais terão à mão o sistema durante abordagens e vão conferir os números do IMEI de aparelhos apreendidos para identificar se o celular é fruto de roubo. Caso o aparelho esteja cadastrado no Alerta Celular, o proprietário receberá uma notificação e poderá reaver o celular.

Neste ano 170 aparelhos foram recuperados e devolvidos aos donos. O objetivo é aumentar esse número. Em 2019 a Polícia Civil sinalizou que celulares roubados e recuperados acabam não voltando aos donos por falta de queixa. Quando localizados, os itens ficam armazenados em delegacias à espera do registro das pessoas lesadas. O roubo de aparelhos celulares é apontado pela Delegacia de Furtos e Roubos (DRFR) e o Grupo de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerrc) como o crime mais comum registrado em Salvador, segundo a corporação.

A plataforma foi desenvolvida em parceria entre o governo da Bahia e do de Pernambuco e foi pensada para contribuir em várias vertentes. “A primeira é a reparadora, cujo principal objetivo é a possibilidade de devolver ao respectivo dono o seu aparelho. A vertente preventiva que visa diminuir os índices de comercialização e receptação desses aparelhos, desestimular o comércio ilegal; e tem a vertente repressiva, de responsabilizar pessoas que adquirem aparelhos oriundos de ação ilícita”, explicou o diretor de Avaliação Operacional da Superintendência Integrada da ação policial, Major Rubenilton Andrade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo