BrasilGeral

Agnaldo Timóteo critica Gerson por denúncia de injúria racial contra jogador do Bahia: “você é de que cor, miserável?”

O cantor Agnaldo Timóteo criticou o meio campista Gerson, do Flamengo, que acusou o meia  colombiano do Bahia, Ramírez, de injúria racial. O colombiano teria dito “cala a boca, negro” para Gerson durante o confronto entre as equipes neste domingo (20). 

“Você não tem vergonha na cara de ter vergonha da cor, você é de que cor, miserável? […] Vocês têm vergonha de ser negro, eu não tenho. Eu me orgulho de ser negro […] de que você gostaria de ser chamado?”, questionou. O cantor criticou também a cobertura que a imprensa está dando ao caso.

“Nós não temos o direito de termos vergonha da nossa cor, nós temos que ter orgulho. Por isso não tem deputado negro, senador negro, governador negro, nada negro, porque vocês têm vergonha de ser negro. Eu não tenho, eu me orgulho de ser negro”, finalizou o cantor.

Relembre o caso

O jogador do Flamengo Gerson deixou o campo no final da partida acusando o meia-atacante do Bahia, o colombiano Juan Ramírez, de racismo após a derrota do tricolor baiano por 4 a 3, neste domingo (20), no Maracanã. Durante uma entrevista, o atleta flamenguista aproveitou para denunciar o episódio.

“O Ramírez, do Bahia, falou para mim: ‘Cala a boca, negro’. Eu nunca reclamei na imprensa, mas isso eu não aceito. Eu vim falar em nome de todos os negros. O Mano Menezes também tem que saber respeitar”, afirmou.

Após o fim do jogo, o Bahia anunciou a demissão de Mano Menezes. Em sua última entrevista coletiva, Mano colocou em xeque a acusação realizada por Gerson e afirmou que ele “estava muito alterado”.

“Esse é um assunto extremamente sério [racismo], que envolve o mundo e consequentemente o Brasil também.  Nós não temos nenhum relato, não temos uma imagem, não temos o fato de que Ramírez falou para Gérson qualquer coisa desse tipo. Então, quando não temos, logicamente ficamos do lado do nosso jogador. O que pareceu para gente naquela hora foi que tínhamos crescido no jogo, feito 2 x 1 e que estava havendo uma tentativa de paralisar o jogo, de tumultuar e tirar um jogador nosso também por um cartão vermelho, para igualar as coisas […]  Pela conversa que tive com o presidente Guilherme e pela história do Bahia não irá haver defesa de uma coisa errada, se realmente aconteceu, vamos ver se aconteceu”, afirmou o ex-treinador do Bahia.

Além da demissão de Mano, o clube anunciou o afastamento de Ramírez. O Bahia afirmou que, apesar de o atleta “negar veementemente a acusação” de racismo, o clube “entende, porém, que é indispensável, imprescindível e fundamental que a voz da vítima seja preponderante em casos desta natureza”.

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar a denúncia de injúria racial. A investigação ficará a cargo da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI). 

Bnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo