Cotidiano

Acreano desiste de fazer redução no estômago e emagrece 62 kg com dieta

NETAO - ACREOlha, o pai dele é gordão!”. A frase dita pelo colega do filho do autônomo Francisco da Silva Neto, de 31 anos, ou apenas ‘Netão’, como é conhecido, era o que faltava para que ele tomasse a decisão de emagrecer. Medindo 1,85 metros, Netão pesava, em maio do ano passado, 170 quilos. A primeira opção dele foi fazer uma redução de estômago. Para isso, gastou quase R$ 4 mil com exames pré-cirúrgicos, mas, uma conversa com o médico o fez mudar de ideia. “Em maio de 2014 resolvi fazer uma bariátrica e fui até Goiânia. Essa era, na minha opinião, a solução mais rápida.

Veja mais

Bio Fitness Academia informa: Melancia é aliada dos músculos e ajuda na hidratação

“Histórias fantasiosas”, diz Letícia Spiller sobre rumores de affair com Caio Castro

Cheguei a gastar R$ 3,5 mil com exames, o médico viu e não encontrou nenhuma alteração. Estava disposto a pagar R$ 21 mil para fazer a cirurgia, mas o médico disse que eu era jovem e me mandou pensar melhor”, recorda. lha, o pai dele é gordão!”. A frase dita pelo colega do filho do autônomo Francisco da Silva Neto, de 31 anos, ou apenas ‘Netão’, como é conhecido, era o que faltava para que ele tomasse a decisão de emagrecer. Medindo 1,85 metros, Netão pesava, em maio do ano passado, 170 quilos. A primeira opção dele foi fazer uma redução de estômago. Para isso, gastou quase R$ 4 mil com exames pré-cirúrgicos, mas, uma conversa com o médico o fez mudar de ideia. “Em maio de 2014 resolvi fazer uma bariátrica e fui até Goiânia. Essa era, na minha opinião, a solução mais rápida. Cheguei a gastar R$ 3,5 mil com exames, o médico viu e não encontrou nenhuma alteração. Estava disposto a pagar R$ 21 mil para fazer a cirurgia, mas o médico disse que eu era jovem e me mandou pensar melhor”, recorda.

Netão diz que o episódio com o coleguinha do filho, chamando-o de “pai gordão” foi um golpe duro. “Minha família é tudo para mim, me senti magoado, não por mim, mas pelo preconceito que meu filho poderia sofrer na escola por ter um pai gordo, então, resolvi tomar uma atitude”, acrescenta ele, que é casado e pai de dois filhos, um de 7 e outro de 12. O ex-obeso afirma que hoje seu organismo é condicionado à dieta e exercícios físicos e garante que não passa nenhum dia sequer sem se exercitar. “Comecei devagar, respeitando os meus limites. Nunca pensei em desistir hoje sou viciado nisso aqui [academia] meu organismo é condicionado ao exercício físico, se eu não fizer, parece que perdi o dia”, garante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo