Filho de Bolsonaro será denunciado por apologia a tortura e homofobia


O vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSC), filho do candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, vai ser denunciado pelo colega de Câmara David Miranda (PSOL) na Comissão de Ética da Câmara Municipal do Rio por apologia à tortura e LGBTfobia.

A representação acontecerá um dia após a postagem do filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), que republicou uma foto que simula a tortura de um homem com um saco na cabeça, associando a imagem a pais que sentem vergonha de seus filhos por serem homossexuais, através da frase “Sobre pais que choram no chuveiro”.

Miranda, que é candidato a deputado federal, disse por meio de sua página em uma rede social que a bancada do Psol vai assinar o pedido e solicitar apoio de outros parlamentares, além de anexar uma petição online, que tinha quase 5.500 assinaturas às 10h23 de hoje.

A intenção é pressionar a presidência da Casa para abrir o processo que vai pedir a cassação do mandato de Carlos Bolsonaro. Após a campanha contra a postagem, o site de David Miranda foi derrubado, assim como o link da petição. A equipe do parlamentar trabalhou durante a madrugada e conseguiu colocar as páginas novamente no ar.

O deputado federal Jean Wyllys, também do Psol, entrou com uma ação no Ministério Público do Rio (MPRJ) ainda nesta quarta-feira contra Carlos Bolsonaro. O documento pede a investigação de apologia à tortura, suspeita de incitação ao crime e suspeita de crime de ameaça.

Bahia.ba