Sífilis, Sarampo, Peste Negra, Escarlatina, Caxumba, Gonorreia e Clamídia estão de volta

Doenças que estava desaparecidas e até extintas ressurgem e com grande impacto.


Não é de hoje que nós, seres humanos, travamos batalhas com inúmeras doenças. Dentre os avanços no serviço de saúde no Brasil, podemos destacar a vacinação. Estamos entre os países mais avançados na área. Doenças como o sarampo, meningite, coqueluche, hepatite, entre outras, hoje, estão controladas graças ao elevado índice de imunização.

Apesar de certas conquistas, algumas doenças parecem estar voltando. Surtos de sarampo e caxumba voltaram a ser manchetes dos meios de comunicação. Após 147 casos registrados em quatro países das Américas, sendo 121 nos Estados Unidos, 21 no Brasil, quatro no Canadá e um no México, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Pan-Americana de Saúde (Opas) emitiram um alerta ao continente americano quanto ao risco de disseminação.

Embora as razões sejam complexas e difíceis de identificar, doenças, que já foram controladas, podem ganhar força novamente. Sabe quais doenças são essas? Confira nossa lista.

1 – Sífilis

A Sífilis é uma doença infecto-contagiosa, sexualmente transmissível, que pode levar à morte se não tratada com tempo. É especialmente perigosa se a pessoa infectada for uma gestante. Hoje, os surtos de sífilis estão crescendo cada vez mais. Em suma, nos Estados Unidos, a taxa nacional de casos de sífilis em 2000-2001 foi de 2,1 por 100.000 habitantes. Esse foi o índice mais baixo da doença em 1941. Em contrapartida, em 2017, o número aumentou para 9,5 casos por 100.000 habitantes.

2 – Sarampo

O sarampo é uma virose – um vírus com genoma RNA (paramyxovirus do grupo morbilivirus). Como a maior parte das doenças de disseminação respiratória, o sarampo era bem mais comum no inverno pela maior aglomeração de pessoas. Os sintomas são tosse, coriza, injeção conjuntival e febre. Após poucos dias da contaminação, aparece o típico exantema (erupções avermelhadas na pele) do sarampo, que se inicia no tronco. A prevenção é com vacina. A vacina do sarampo é extremamente efetiva e tem poucos riscos. O sarampo pode levar à várias complicações. A mais comum é a pneumonia bacteriana – principal responsável pela morte de crianças desnutridas. As complicações neurológicas, no entanto, assustam mais. Além de algumas agudas, como encefalite transitória, há uma encefalite crônica que sempre evolui mal e caminha para o óbito.

3 – Peste Negra

Recentemente, casos foram registrados em Idaho, Califórnia, Arizona, Colorado e Novo México. A Peste Negra, geralmente, é transmitida por pulgas de ratos infectadas e pode se manifestar de três formas: bubônica (infecção linfonodal), pneumônica (infecção pulmonar) ou septicêmica (infecção sanguínea). Pessoas com peste pneumônica podem espalhar a doença por meio de gotículas respiratórias. A doença pode ser fatal e requer tratamento com antibióticos, como estreptomicina, gentamicina, doxiciclina ou ciprofloxacina, além de oxigênio, fluidos intravenosos e suporte respiratório.

4 – Escarlatina

Causada por bactéria, a doença provoca febre, dor de garganta, coceira e manchas vermelhas pelo corpo. O contágio é pela tosse, espirro ou compartilhamento de bebidas. Não existe vacina contra escarlatina, mas ela pode ser evitada com alguns cuidados. O grande risco da escarlatina é não ser tratada corretamente.

5 – Caxumba

Casos de caxumba estão aumentando. Em 2016, 6.366 casos foram registrados nos Estados Unidos. Em 2012, o órgão havia registrado apenas 229 casos em todo país. Em suma, a Caxumba é uma infecção viral, que afeta as glândulas parótidas – um dos três pares de glândulas que produzem saliva. As parótidas estão situadas entre suas orelhas e à frente delas. Contudo, a caxumba também pode afetar as glândulas submandibulares e sublinguais, todas próximas dos ouvidos. Além disso, a doença pode resultar em complicações desagradáveis, incluindo encefalite, meningite, orquite e ooforite.

6 – Gonorreia

A gonorreia é uma das Doenças ou Infecções Sexualmente Transmissíveis (DST/IST) mais comuns entre os homens e as mulheres. É causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, que também é conhecida como Gonococo. Uma das formas mais fáceis de se contrair a infecção é a partir das relações sexuais sem o uso de preservativos, seja pela penetração ou através do sexo oral. A bactéria costuma se desenvolver em diversos locais do corpo, dentre eles, no reto, no aparelho urogenital, na traqueia e nos olhos. Dados de 77 países mostram que a resistência aos antibióticos está tornando a gonorreia – uma infecção comum transmitida sexualmente – muito mais difícil e, às vezes, impossível de tratar. De acordo com especialistas, “as bactérias que causam gonorreia são particularmente inteligentes. Toda vez que usamos uma nova classe de antibióticos para tratar a infecção, as bactérias evoluem para resistir a eles”.

7 – Clamídia

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, a cada ano, 92 milhões de novos casos de infecção por clamídia surjam em todo o mundo. No Brasil, quase 2 milhões de novos casos acontecem a cada ano. Além disso, a clamídia afeta órgãos genitais femininos e masculinos, podendo causar a esterilidade, e podendo atingir também outros órgãos. Os sintomas vão desde pequenos corrimentos até dores. Muitas vezes, a doença não provoca sintomas. A clamídia tem tratamento e cura, mas a melhor solução é a prevenção. (Fatos Desconhecidos)