Higiene íntima masculina merece atenção especial durante os dias de Carnaval

Falta de limpeza pode acarretar em inflamações na área genital, que vão desde coceiras e infecções por fungos e bactérias a até mesmo o câncer de pênis


São Paulo, fevereiro de 2019 – Para alguns, parece óbvio; para outros nem tanto. Mas a higiene do pênis é fundamental para proteger  contra doenças e manter em alta sua performance sexual. E está equivocado quem pensa que basta aquele banho de gato, tomado de forma superficial. Afinal, ninguém deseja ser surpreendido pelo cheiro forte na cueca e o pênis cheio de secreção bem na hora H, ainda mais em pleno Carnaval!

A falta de higiene íntima, tanto para o homem quanto para mulher, pode acarretar em inflamações e irritações na área genital, que vão desde coceiras até infecções graves por fungos e bactérias. Em casos ainda mais críticos, pode ocasionar o câncer de pênis, doença que acomete 15 mil brasileiros por ano. Segundo dados do comitê científico do Instituto Lado a Lado pela Vida, todos os anos cerca de 1600 homens precisam amputá-lo parcial ou totalmente no Brasil.

Embora seja difícil de acreditar, a falta de higiene é a principal causa de câncer de pênis. Isso porque a limpeza correta da genitália evita doenças sexualmente transmissíveis, diminuindo as chances do desenvolvimento da doença. “Há uma forte associação entre a presença do prepúcio (pele que recobre a glande ou cabeça do pênis) e o surgimento do câncer peniano. Além disso, as DSTs caminham lado a lado com este tipo de câncer”, explica Dr. Aguinaldo Nardi, urologista e membro do comitê científico do Instituto Lado a Lado pela Vida.

Segundo ele, muitos homens acreditam que estão fazendo a higiene adequada do pênis durante o banho, mas podem estar se esquecendo de detalhes simples. “A limpeza envolve puxar o prepúcio até o aparecimento total da glande, passar água com espuma de sabão ou sabonete sobre a superfície da mucosa e/ou pele suavemente, até sair toda a camada de gordura acumulada”, explica o urologista. A essa gordura, damos o nome de esmegma. Ela é uma secreção branca composta de células descamadas da pele e óleos produzidos por glândulas penianas, e precisa ser retirada completamente para que seja afastado o risco de proliferação de bactérias e fungos no local.

Um ponto importante destacado pelo médico é a limpeza adequada do pênis depois do ato sexual, pois ela ajuda a remover resíduos de sêmen e excesso de lubrificante do preservativo. A higiene também serve para retirar o muco da lubrificação natural da mulher junto com resíduo de secreção espermática após a ejaculação, já que ambos são ricos em substâncias que servem como meio de cultura para bactérias e fungos.

Além disso, o uso de preservativos em qualquer relação sexual é fundamental, seja durante o Carnaval ou em todo as demais épocas do ano. Essa atitude previne contra o vírus HIV e as demais doenças sexualmente transmissíveis, como HPV, herpes genital, gonorreia, hepatite B e C e sobretudo sífilis, doenças que vem apresentando aumento no número de ocorrências no Brasil, acompanhando uma tendência mundial.

Câncer de pênis tem maior incidência no Norte e Nordeste

Entre os fatores de risco pra que o pior aconteça, o especialista menciona a fimose, que impede a exposição da glande (cabeça do pênis) por causa do estreitamento do prepúcio, o acúmulo de esmegma (secreção branca resultante da descamação celular) e principalmente a falta de informação. “Pessoas em situação socioeconômica desfavorável, moradoras das regiões mais carentes, são as mais afetadas pelo câncer de pênis”, ele explica.

Apesar de rara nos países europeus e américa do norte, esse tipo de tumor é uma condição frequente em muitos países africanos, sul americanos e asiáticos. No Brasil, ele representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem o homem, sendo mais frequente nas regiões Norte e Nordeste. O número de mortes chega a 400 por ano, segundo dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer).

Dados da literatura brasileira demonstraram que dos pacientes com câncer de pênis, 75% eram brancos, 23% negros e 2% orientais. Noventa por cento dos casos são oriundos do Sistema Único de Saúde (SUS). Isso sugere que o câncer de pênis tende a afetar os mais pobres, não circuncidados e com hábitos precários de higiene.

Mesmo com todos os cuidados, é essencial buscar um profissional ao menor sinal de problema. “Os homens precisam ficar de olho na aparição de manchas, verrugas, úlceras e feridas no pênis. Quanto antes for diagnosticado, maiores são as chances de sucesso no tratamento e da não remoção do pênis”,  finaliza Dr. Nardi.

____________________________

Instituto Lado a Lado pela Vida tem a missão de ampliar o acesso às novas tecnologias e humanizar a saúde de norte a sul do Brasil através do diálogo, do acolhimento e da promoção do bem-estar físico e emocional. Para isso, a equipe do Instituto percorres o país propagando a importância da prevenção, do autocuidado e da autoestima, levando para homens, mulheres e crianças essa conscientização de que a saúde é o bem mais valioso e merece atenção especial. Saiba mais e faça parte desse desafio e dessa nobre missão. www.ladoaladopelavida.org.br