Uso de cotonete pode perfurar o tímpano


A boa notícia é que na maioria dos causas quando o tímpano é perfurado se recupera sozinho.

Limpar os ouvidos com cotonete já virou um hábito para grande parte da população brasileira, que vê a atitude como uma parte da higiene geral do corpo. São minutos gastos com o esfrega-esfrega do cotonete, tudo para não deixar nenhum resquício de cera nos canais externos do ouvido. O problema, que muita gente desconhece, é que esse pequeno hábito pode gerar diversos riscos para saúde dos ouvidos, podendo ocasionar lesões sérias, que necessitam de cirurgia para correção.

Entre os perigos que envolvem o uso das conhecidas hastes flexíveis estão infecções como otites externas e até mesmo lesões no tímpano. “A cera do ouvido é produzida por diversas glândulas especiais existentes no canal auditivo mais externo. O uso inadequado de cotonetes pode oferecer diversos problemas para saúde. Entre eles infecções, que podem variar, sendo leves ou graves e lesões membrana timpânica, que perfuram os tímpanos e necessitam de cirurgia para correção”, explica o otorrinolaringologista Marcelo Alfredo, do Hospital Beneficência Portuguesa.

Acreditar que estamos retirando toda a cera dos ouvidos é uma grande ilusão. O otorrino explica que o máximo que conseguimos é empurrar a cera em direção aos tímpanos. “O que sai no cotonete é apenas o que está sendo expelido pelo nosso organismo, já que as orelhas possuem um mecanismo que traz a cera em direção ao orifício auditivo externo, quando ela não possui mais utilidade. O restante é empurrado para os tímpanos. Essa atitude estimula as glândulas ceruminosas que produzem uma maior quantidade de cera. Resumindo, quanto mais limpamos, mais cera nosso organismo produz”

Limpando corretamente

Nosso organismo é preparado para eliminar a cera em excesso e trabalha também com um processo de autolimpeza. “A cera que permanece no canal externo do ouvido, normalmente seca e vira uma espécie de pó, que é prontamente eliminada pelo organismo”, explica o médico.

Mas, se você acredita que não consegue esperar esse processo, não precisa entrar em pânico. De acordo com Marcelo Alfredo, existe um modo de eliminar a cera em excesso, sem oferecer mais riscos para saúde. “A melhor maneira de retirar a cera que está sendo expelida pelo organismo, sem prejudicar a saúde dos ouvidos, é utilizar uma toalha e fazer a limpeza logo após o banho. O correto é limpar somente até onde o dedo alcança. Assim, não empurramos a cera em direção aos tímpanos e tiramos todo o excesso”

Função

Mesmo retirando toda a cera dos ouvidos, sem empurrá-la para dentro (função quase impossível de acordo com o especialista), estaríamos colocando a saúde dos ouvidos em risco. “Pode não parecer, mas a cera produzida pelo nosso organismo é responsável por garantir proteção e deixar as infecções bem longe. A remoção da cera deixa o ouvido mais vulnerável às infecções, que podem resultar até mesmo em problemas de audição. Ela também é responsável por proteger a fina pele do canal auditivo, evitando algumas ameaças como: detritos, areia, água e microorganismos. E não deixando que eles cheguem até o tímpano”.

Cera em excesso

Em alguns casos a cera é produzida em excesso ou os canais auditivos são estreitos e tortuosos demais. Quando isso acontece o tímpano pode ser “tampado” causando dificuldade na audição. “Nessas situações a cera precisa ser retirada por um especialista. Existem modos de fazer isso, como lavagem ou aspirações, tudo com instrumentos especiais que não agridam os ouvidos. A importância de uma especialista para esses casos está no risco de perfuração do tímpano que pode acarretar em diversos problemas de audição”, alerta Marcelo Alfredo.