Quem será o primeiro ministro a cair no governo Bolsonaro?

Damares Alves e Onyx Lorenzoni causam desgaste ao governo de Jair Bolsonaro.


Foto: reprodução O Tempo

A disputa entre Damares Alves e Onyx Lorenzoni parece bastante acirrada em relação ao primeiro quadro do governo a despencar, muitos apostam que a paciência do presidente Jair Bolsonaro com os dois não durará muito tempo, um deles já se envolveu em diversas polêmicas, enquanto o outro está supostamente enrolado em corrupção.

A afirmação de Alves, que disse:  “menina veste rosa, menino veste azul” provocou um desgaste na imagem da ministra e descontentamento com o presidente, antes mesmo de tomar posse, ela disse ter visto Jesus subindo num pé de goiaba, mas não para por ai, já teve declaração polêmica em relação ao Enem – Exame Nacional do Ensino Médio e SISU – Sistema de Seleção Unificada.

Nesta terça-feira (8), o jornal Zero Hora, publicou matéria acusando Lorenzoni de usar notas em série da empresa de um amigo para receber verba de gabinete, as revelações dão conta de 80 notas, sendo que 29 foram emitidas em sequência, o que indica que o ministro teria sido o único cliente da firma.

Em resposta a reportagem Onyx diz que não há irregularidade, “A empresa sempre prestou os serviços e recebeu por eles, na forma da lei. Trata-se de consultoria tributária – não apenas para projetos meus e sim aconselhamento para todos os projetos em destaque nesta questão”, diz o texto.

Não é a primeira vez que o Ministro-chefe da Casa Civil é alvo da imprensa, após ser acusado de recebimento de propina da JBS, controlada pelo grupo J&F dos irmãos, Wesley e Joesly Batista, o ministro, reconheceu as denuncias e pediu perdão por ter aceitado o dinheiro sujo. “Final da campanha, reta final, a gente cheio de dívidas com fornecedores, pessoas, eu usei o dinheiro. E a legislação brasileira não permite fazer a internalização desse recurso”, ele disse que procuraria o Ministério Público para narrar o ocorrido.

Em novembro a PGR – Procuradoria-Geral da república, passou a apurar se Onyx teria recebido R$ 100 mil por meio de caixa dois, em 2012, (veja aqui).

As investidas contra o ainda candidato a ministro fizeram o presidente eleito, a época, se pronunciar: “Olha só, em havendo qualquer comprovação obviamente ou uma denúncia robusta contra quem quer que seja do meu governo que esteja ao alcance da minha caneta ‘Bic’, ela será usada”, disse Bolsonaro.

As apostas agora são, quem será o primeiro a receber a ‘canetada’?