Padilha diz que Geddel é um homem correto: ‘Conheço desde 1995’


Foto: José Cruz / Agência Brasil40

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, negou ter qualquer conhecimento a respeito de uma possível pressão de Geddel Vieira Lima sobre o doleiro Lúcio Funaro. Em depoimento na Justiça Federal em Brasília, nesta terça-feira (06), Padilha afirmou que Geddel é um homem “correto”, o defendendo das acusações de que teria pressionado Funaro a não delatar.

“Conheço Geddel desde quando cheguei, em 1995, em Brasília. Fomos deputados até 2010. Sempre tive nele uma pessoa correta, alguém que cumpria com suas obrigações”, disse Padilha durante o depoimento. O ministro é testemunha de defesa de Geddel no processo em que o pemedebista baiano é acusado do crime de obstrução de Justiça.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), Geddel ligava para a esposa de Funaro, Raquel Pitta, para evitar a delação do doleiro e “embaraçar as investigações contra a organização criminosa alvo da Sépsis e Cui Bono?”.

Em depoimento dado também nesta terça em Brasília, Geddel negou qualquer pressão sobre Lúcio Funaro e se disse abandonado pelos amigos.

“Esses telefonemas amigáveis devem ter feito bem à senhora Raquel Pita. Digo isso porque vejo hoje que amigos, pessoas, de longa data me lançaram em um vale dos leprosos”, afirmou.

A respeito de Funaro, o ex-ministro falou que “possivelmente os dois foram apresentados pelo ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha”, mas destacou que não se lembra dos detalhes, pois “essa memória fantástica só em elefante e delator”. Segundo Geddel, Funaro era uma pessoa “agradável”. Bahia.ba.