Ex-prefeito de Ubaíra fala de reprovação de suas contas, critica TCM e se diz decepcionado com a política


Ex-gestor criticou duramente o Tribunal de Contas dos Município.

O ex-prefeito de Ubaíra, Fábio Cristiano Pinheiro, Fabinho do PT, teve as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios do estado da Bahia. O limite de índice de pessoal ficou acima de 55% conforme relatório, a Lei de Responsabilidade Fiscal, recomenda que o índice não ultrapasse 54%.

A reprovação gerou críticas a entidade que andou aprovando contas com limite de pessoal acima de 60%.

“Minhas contas foram votadas, nós tínhamos uma pessoa no plenário e a informação que tivemos é que nossa conta foi aprovada, que o relator indicou aprovação,  a maioria segui  o voto do relator, pra nossa surpresa mais tarde a gente viu uma publicação, a nossa equipe ta levando em conta que isso ai foi um erro, e errar é humano, então provavelmente a pessoa lá inverteu os votos, isso já aconteceu em 2014, o pessoal lá confundiu Ubaíra com o município de Iuiú, naquela ocasião nós fomos lá e eles se retrataram, eu espero que na segunda feira isso se confirme e que o tribunal se retrate. … se as minhas contas foram aprovadas, como a gente espera que tenha sido provadas e tenha acontecido esse erro a gente espera a retratação do tribunal e eu não descarto até uma ação por danos morais.

Fabinho argumentou ainda que na revisão a expectativa é que o índice de pessoal fique abaixo de 54%. “eu peguei um município com 59.67% e tenho certeza que vou entregar abaixo de 54%”. “…eu posso dizer a população que a conta mais redonda de nossa administração foi a de 2016”.   O tribunal em si…

a gente percebe…, existe agora até um movimento para a extinção do tribunal. O presidente da assembleia legislativa da Bahia, Ângelo Coronel ele defende a extinção e o governador também disse que endossa, e é um pensamento a nível de Bahia e Brasil em muitos estados já foi extintivo o TCM, fica o TCE, que é tribunal de contas do estado, para fazer esse trabalho ai, a gente percebe as vezes que trabalho deixa de ser técnico para ser politico, eu sempre sigo pela via técnica, eu quero a verdade estampada, quando aconteceu esse erro em 2014, quando minhas contas foram reprovadas eu agir com muita tranquilidade pelas vias legais consegui reverter o voto do relator, e naquela ocasião houve um erro grotesco de divulgação, o fato de um barco, disseram que a gente tinha atrasado salário e isso nunca ocorreu na história, então eu acredito que isso ai foi mais um erro.

Após deixar a prefeitura, Fabinho voltou a vida empresarial. Questionado sobre se a política o decepcionou o ex-gestor argumentou que sim, e disse se sente aliviado, afirmando ter tido duas decisões corretas, de sair candidato e de abdicar da reeleição.