Geddel, irmão e mãe viram réus no caso do bunker de R$ 51 milhões


A Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) transformou o ex-ministro Geddel Vieira Lima, seu irmão Lúcio Vieira Lima e a mãe Marluce Quadros Vieira Lima em réus na ação que investiga o bunker em Salvador (BA) com R$ 51 milhões.

A decisão foi tomada pela Segunda Turma nesta terça-feira (8). Os três se tornaram réus por unanimidade e respondem pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Geddel e Lúcio Vieira Lima foram denunciados pela PGR (Procuradoria-Geral da República) em dezembro do ano passado. Na mesma época, o ministro Edson Fachin determinou o bloqueio de bens da família, estimados em R$ 12,7 milhões.

Fachin bloqueou imóveis na Bahia. Segundo as investigações, os locais eram utilizados para lavagem de dinheiro. A PGR também aponta o envolvimento da mãe de Geddel e Lúcio, Marluce Quadros Vieira Lima.

A PF ainda investiga a origem do dinheiro e uma das possibilidades apontadas é que doleiro Lúcio Funaro teria levado malas de dinheiro a Geddel em voos a Salvador, que totalizaram R$ 20 milhões.

Funaro disse, em delações, que há maços de dinheiro de um banco ligado a J&F nos R$ 51 milhões. O doleiro também disse que operou propinas para Geddel em negócios da Caixa Econômica Federal.

A Segunda Turma é composta pelos ministros Edson Fachin, Celso de Mello, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli.  R7.