‘Pessoa que transforma chifre em lucro é abençoada’, diz Marília Mendonça sobre carreira


Marília Mendonça usou o Twitter no fim de semana para explicar aos seus fãs que parte de seu sucesso tem relação com suas decepções amorosas. A cantora, de 23 anos, não esconde que coleciona frustrações do coração e numa das mensagens das redes sociais, aproveita para brincar com sua ascensão profissional após contar as histórias nas composições. “Deve ser muito difícil ser meus ex e ter que ficar me ouvindo em todo canto. Culpa sua, seus fela. Obrigado por demonstrar esse amor falso”, escreveu a artista, que continuou: “Uma pessoa que consegue transformar chifre em lucro é muito abençoada. Obrigada, Deus!”  Numa mensagem detalhada, a goiana explica quais de suas músicas são baseadas nas suas vivências afetivas: “Tweet explicativo: músicas que contam histórias da minha própria vida em diferentes momentos: ‘Saudade do meu ex’, ‘Folgado’, ‘O que falta em você sou eu’, ‘Se ame mais’, ‘Até o tempo passa’, ‘De quem é a culpa’, ‘Olha só você’, ‘Esse cara aqui do lado.” Marília ainda brincou ao comentar o contexto de música por música: “O mais legal de serem sempre histórias reais, é que sempre alguém vai se identificar… esse é o segredo do meu repertório”.

“‘Saudade do meu ex’: terminei com um achando que tava ruim, depois de um tempo arranjei outro e piorou”.

“‘Folgado‘: o pior namorado que tive quis mandar no que eu vestia, na minha relação com a minha família, no que eu comia mesmo sendo eu que pagava a conta. Mandei vazar e fiz essa homenagem para ele.”

“’De quem é a culpa’: foi um sentimento platônico por alguém muito inteligente que durou muito tempo. Me tornei outra pessoa pra tentar agradar… Foi a época que mais adquiri conhecimento (risos). Deu nada”.

“’Olha só você’: o cara largava da ‘muié’, ligava, sumia, voltava, largava, ligava, sumia, voltava, largava, ligava. Mandei vazar também”.