Terreiros inauguram espaço de comercialização de plantas medicinais e litúrgicas


Com objetivo de gerar renda, preservar a flora local e valorizar a identidade dos religiosos de matriz africana, será inaugurada nesta quinta-feira, (28), às 10h, no Pelourinho, em Salvador, a Botica do Projeto Rede de Hortos de Plantas Medicinais e Litúrgicas (Rhol).

No espaço serão comercializadas plantas de uso religioso e empregadas no cuidado com a saúde, cultivadas por terreiros de candomblé de Salvador, Dias D’Ávila, Camaçari e Lauro de Freitas. Também estarão à venda cosméticos naturais, sabão e detergentes fabricados a partir do reaproveitamento do azeite de dendê.

O projeto Rhol foi um das 54 iniciativas contempladas pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), por meio do Edital de Apoio aos Empreendimentos Solidários de Matriz Africana. O Governo do Estado investiu mais de R$ 720 mil no projeto, que beneficia diretamente mais de 60 famílias de comunidades tradicionais afrodescendentes da Região Metropolitana de Salvador.

Os participantes tiveram assessoramento técnico e orientação especializada para instalação, desenvolvimento e manutenção de uma tecnologia social baseada em práticas agrícolas sustentáveis. Uma equipe multiprofissional, composta por biólogo, farmacêutico e engenheiro agrônomo, realizou capacitações sobre educação ambiental, cooperativismo e agroecologia, e orientou o grupo na criação de uma rede para produção e comercialização das plantas.

A execução do projeto Rhol é feita pela Associação Filhos do Mundo, em parceria com a Àwa Ações Afirmativas, entidades ligadas ao Movimento Social dos Povos Brasileiros.