Ubaíra: ”ou faz reforma administrativa ou faz autofagia”, diz vereador


Autofagia é a pratica canibalesca onde o homem ou o animal come sua própria carne.

Esta foi à comparação que o vereador Professor Eliomar do município de Ubaíra fez para os municípios de modo geral “ou os municípios cuida em fazer uma reforma administrativa séria ou então continuam fazendo autofagia”.

 

Para o vereador, chegou à época das grandes mudanças na estrutura administrativa do Estado, “estamos na travessia de um processo que nenhum de nós acreditávamos, a cúria saiu do altar, a cúria tá no tabuleiro do Xadrez” com esta metáfora o vereador faz menção aos magnatas que estão sendo levado a prisão no desfecho da operação Lava-Jato.

Veja alguns trechos de nossa entrevista ao vereador.

O SENHOR FALA EM REFORMA ADMINISTRATIVA, O QUE SERIA EM LINHAS GERAIS ESTA REFORMA?.

“O Brasil esta passando por um momento de mudanças cruciais, temos um conjunto de “mudanças” ao mesmo tempo, é gente grande indo para Papuda ao passo que reformas duras acontecem como foi o caso da reforma trabalhista e da reforma previdenciária em curso. Todos nós concordamos que o atual modelo de previdência no Brasil deve ser revisto, obviamente que com as devidas proporções. No entanto, lamentavelmente, estas reformas estão concentradas na esfera federal, os estados e os municípios estão parados, estão fazendo autofagia, estão ficando nanicos, dentro, sendo, seus próprios limites”.

 

 O QUE OS MUNICÍPIOS PODEM FAZER…?

Pois bem, tenho defendido uma reforma administrativa séria, com mudanças severas em todos os seguimentos da administração perpassando pela diminuição do tamanho da máquina pública e consequentemente melhorias na qualidade de serviço ao cidadão. Os municípios precisam diminuir o gasto com pessoal desnecessário, e de modo geral com o tamanho da maquina, quanto maior for o tamanho da administração maior será o gosto para seu funcionamento e pior é a qualidade do serviço público.

 

NO ÂMBITO DOS MUNICÍPIOS COMO ESTA REFORMA PODE SER INICIADA E POR QUEM?

Pois bem, reforma significa mudanças e a maioria das vezes estas mudanças são de cunho impopular ou de cunho apolítico. Então, os gestores têm estas dificuldades, no entanto não teremos outra saída, precisamos difundir esta ideia e levarmos para o campo concreto onde se desenvolve a gestão pública.

 

PORQUE A REFORMA ADMINISTRATIVA É IMPOPULAR E APOLÍTICA?

 

É corte na própria carne. Diminuir o tamanho da máquina implica em diminuir cargos, aperfeiçoar o rendimento da estrutura, e não estamos preparados para isso. No entanto os resultados são eficazes e em pouco tempo a população aplaude as mudanças. O que não é, mas aceitável é continuarmos vestindo roupa nova em corpo velho. Temos nas mãos uma enorme responsabilidade e devemos nos posicionar sobre esta, é preciso desenvolver uma nova mentalidade político administrativa ou simplesmente seremos coadjuvante de um modelo político-administrativo que esta nos levando para o abismo.