Flamengo já arrecada R$ 13 milhões a mais do que em 2018 inteiro com bilheteria e deixa os ‘imbatíveis’ Corinthians e Palmeiras para trás


A lua de mel com a torcida em 2019 faz com que o Flamengo se aproxime de algo que parecia impossível nos últimos anos no futebol brasileiro: superar Corinthians e Palmeiras em renda.

Na era das novas arenas dos clubes paulistas, desde 2015, a temporada brasileira não termina sem que um dos dois esteja na liderança. Nos últimos quatro anos, a dupla se alternou no topo, mas, em 2019, é superada pelo Flamengo, que, aliás, já bateu de longe o que fez em 2018 inteiro.

Com 25 jogos como mandante neste ano, o Flamengo teve R$ 53,29 milhões de renda bruta. O Corinthians, curiosamente, tem mais jogos, 27, mas arrecadou “apenas” R$ 46,89 milhões. Líder em 2018, o Palmeiras aparece logo atrás, com faturamento de R$ 43,19 milhões em 24 partidas.

No último ano, por exemplo, o Flamengo arrecadou, em 32 compromissos, R$ 39,98 milhões, perdendo de longe tanto para Palmeiras (R$ 79,55 milhões em 37 jogos), quanto para Corinthians (R$ 59,3 milhões em 36 jogos). A diferença rubro-negra para 2019 já supera R$ 13 milhões.

Nas temporadas passadas, o ano em que os cariocas estiveram mais perto dos paulistas foi 2017. O Flamengo somou renda bruta de R$ 55,11 milhões, mas com 43 jogos. O líder Corinthians, com só 33 partidas, fez R$ 63,33 milhões, enquanto o Palmeiras, 61,42 milhões com 33 compromissos.

Já em 2016, o Flamengo não conseguiu sequer a terceira colocação em renda bruta no ano. A liderança, mais uma vez, foi do Palmeiras, com R$ 59,59 milhões, e o Corinthians veio logo atrás com R$ 58,52 milhões. À frente dos rubro-negros, também ficaram São Paulo e Grêmio.

Há três temporadas, a arrecadação do Flamengo foi de R$ 32,07 milhões, ficando pouco abaixo da do São Paulo, terceira maior do ano, com R$ 32,87 milhões; e da do Grêmio, R$ 32,85 milhões.

Completando o período em que Corinthians e Palmeiras tiveram suas arenas por uma temporada cheia, em 2015, os alvinegros registraram a maior arrecadação do ano, com R$ 69,42 milhões, e os alviverdes foram segundos, com R$ 66,63 milhões. O Flamengo foi terceiro: R$ 36,26 milhões.

Espn