Prefeito de Mutuípe alega perseguição em processo de municipalização do Colégio Rui Barbosa

Segundo a prefeitura, Governo do Estado se nega a entregar a estrutura física da escola.


Foto: Vladimir Tapol

O prefeito de Mutuípe, Rodrigo Maicon de Santana Andrade, Digão do MDB, alegou nesta quinta-feira (14), que acredita em interferência política de seus adversários no município para impedir a municipalização do Colégio Rui Barbosa em Mutuípe. Segundo o gestor, comentários em redes sociais provam que seus opositores trabalham para prejudicar seu governo e consequentemente a população.

“A gente vê fotos de vereadores de oposição entregando envelope ao secretário de educação da Bahia, Jerônimo Rodrigues, a gente tem informações de que o ex-prefeito tem tentado tumultuar para tentar voltar ao poder”, Declarou Digão.

Segundo a secretária de educação de Mutuípe, Sônia Ferreira, todo o processo burocrático foi realizado, bem como a publicação de cessão do espaço através do Diário Oficial do Estado da Bahia em 5 de janeiro, mas que a direção a escola se nega a entregar o prédio, bem como a chefe do núcleo regional teria dito não ter autorização para entregar a escola e que se isso ocorresse outras forças, cobrariam dela.

Após abertura da Jornada Pedagógica 2019, Ferreira procurou o Ministério Público para apresentar a situação e ao mesmo tempo solicitar ajudar do MP para resolver o problema.

Por conta de indecisão, o início do ano letivo 2019 foi adiado para 25 de fevereiro e segundo a chefe da pasta pode novamente ser prorrogando diante da indefinição da municipalização da escola.

O alunos do Rui Barbosa, estão matriculados na rede municipal de ensino, mas até o momento não se sabe onde eles serão alocados. A prefeitura cogita a possibilidade de alugar salas de aula, caso não haja entendimento entre estado e município.

A redação do Mídia Bahia, encaminhou ao Governo do Estado a situação e pediu nota esclarecendo o ocorrido.