Michigan proíbe cigarro eletrônico com sabor para proteger jovens em emergência de saúde


O uso de cigarros eletrônicos com sabor foi proibido pelo governo do estado americano do Michigan na última semana. A justificativa da governadora do estado, Gretchen Whitmer, para a proibição é de que a medida servirá para proteger os jovens dos efeitos nocivos do produto.   

Na semana passada autoridades dos Estados Unidos registraram crescimento no número de casos de doenças pulmonares associadas ao uso de cigarros eletrônicos no país. O número de casos possíveis saltou para 450 em 33 estados, com três mortes confirmadas e uma quarta possível.

A governadora Whitmer também apontou que o uso de sabores pelos fabricantes contribuem para viciar jovens em nicotina. O estado proibiu os cigarros sabor menta e suas variações. Estão liberados os cigarros eletrônicos com sabor de tabaco.

De acordo com o G1, a decisão foi tomada depois da análise do uso entre adolescentes e como uma resposta ao marketing das fabricantes que, segundo a governadora, têm como alvo os mais jovens.

Whitmer ainda manifestou a pretensão de proibir propaganda ou marketing que divulgue os produtos com palavras como seguro ou limpo ou saudável. As regras vão entrar em vigor nos próximos meses.