Capitão Alden pede diálogo entre Governo e militares e fala sobre pautas: “Merecem ser discutidas”


Os policiais militares e bombeiros do estado vão discutir em assembleia pautas de reivindicações da categoria, na tarde desta quarta-feira (11), a partir das 15 horas, no clube da Adelba, em Salvador. De acordo com  a Associação dos Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), cerca de 5 mil agentes são esperados.

A categoria faz a segunda assembleia nos últimos trinta dias. Entre as pautas, estão a reforma do estatuto, melhorias do Planserv, reajuste do auxílio alimentação e a regulamentação da lei que prevê isenção de ICMS na compra de arma de fogo por servidores da segurança pública, entre outras.

Para o deputado estadual Capitão Alden (PSL), a assembleia evidencia a frustração da categoria com o Governo do Estado.

“Os policias militares e bombeiros têm demandas que merecem ser discutidas com urgência junto ao Governo do Estado, que durante muito tempo tem se negado a ouvir as entidades representativas. Esse possível movimento reflete no desespero da categoria, que se vê, no momento, frustrada por conta do não-cumprimento de vários acordos feitos e assinados pelo governador à época do movimento paredista”, afirmou.

Alden se mostrou contra um possível movimento grevista, mas reforçou que pode ser uma ‘cartada’ final para chamar o Estado para mesa de negociação.

“A greve é algo que não defendemos, porque trata-se de algo inconstitucional e também por causa de todos os efeitos que movimentos paredistas similares na Bahia deixaram provar.  A população, familiares e o Governo perdem à medida que passam a ser alvos de investidas de criminosos. Então, é uma situação que ninguém deseja, mas é a última cartada que eles têm de, pelo menos, serem ouvidos na mesa de negociação para tratar questões e demandas”, avaliou.

O Governo do Estado foi procurado pela equipe do Varela Notícias na última terça-feira (10), mas ainda não se posicionou sobre o assunto.

Varelanoticias