Qualidade do ar em ambientes fechados evita doenças no inverno

Renovar o clima e manter a temperatura adequada do ambiente é a solução contra doenças.


A qualidade do ar em ambientes fechados é uma preocupação global. No entanto, um equipamento muito famoso pode evitar a proliferação de diversos tipos de microorganismos e partículas que têm impacto direto em nossa saúde. Falamos sobre o ar-condicionado. Muito usado durante o tempo de sol e calor, o aparelho é pouquíssimas vezes ligado durante o inverno. Mas, é necessário que seja.

Isso porque, ao ser ligado, o aparelho de ar-condicionado é capaz de renovar o clima e manter a temperatura adequada do ambiente. Dessa forma, a climatização artificial pode reduzir os riscos de diversas doenças respiratórias. Esse novo hábito é amplamente apoiado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), justamente visando garantir a qualidade do ar em ambientes fechados.

Outro ponto bastante interessante a ser destacado é que não é somente no inverno que uma má qualidade do ar em ambientes fechados é capaz de oferecer riscos à saúde. Especialistas alertam, também, que o simples convívio de pessoas nesses locais, em qualquer época do ano, pode gerar uma maior produção de dióxido de carbono (CO2) pelo organismo. Essa substância, após um tempo sem renovação do ar, torna-se bastante nociva à saúde, e entre os principais reflexos produzidos estão: o cansaço, a sonolência e a queda na produção, além das dificuldades respiratórias.

Nesse sentido, para garantir a qualidade do ar em ambientes fechados e melhorar a saúde da população durante o inverno, diversas medidas têm sido tomadas por órgãos competentes. A norma NBR 16401, por exemplo, determina uma taxa mínima obrigatória de renovação do ar em ambientes fechados. O assunto se tornou tão importante que as próprias certificações de edifícios sustentáveis já incluem a avaliação da qualidade do ar em ambientes com pouca ou nenhuma circulação de ar, como o selo LEED do GBC.

Da mesma forma, tanto a Anvisa (Resolução 9) quanto o Ministério da Saúde (portaria 3523/98) criaram um conjunto de procedimentos que funcionam como um atestado de saúde da qualidade do ar em ambientes que ficam fechados. No entanto, o grau de adesão às exigências legais ainda não é o ideal por diversos fatores, entre eles falta de conhecimento dessas regras e a falta de fiscalização pelos órgãos reguladores.

Como regular o ar-condicionado em dias frios?

A temperatura ambiente e a umidade do ar são variáveis importantíssimas no momento de regular o aparelho. No inverno, quando geralmente a umidade do ar está alta e a temperatura baixa, o ideal é que o ajuste do ar-condicionado seja feito entre 19 e 22 graus Célsius.

Essa medida, evita o choque térmico de quem entra e sai de ambientes com temperaturas extremamente contrárias. Entre os malefícios, é possível sofrer desconfortos, como tonturas, queda da pressão arterial e taquicardia. Além disso, contabiliza-se também uma baixa na imunidade, de forma a facilitar o surgimento de infecções virais e bacterianas, prejudiciais em qualquer época do ano.