Acusado de homicídio em Cavalgada de Amargosa em 2018, é apreendido em Camaçari

Na época do crime o suspeito era menor de idade, por esse motivo cumprirá medida socioeducativa até completar 21 anos.


Vítima

Um crime que causou clamor público na Cidade de Amargosa chega ao seu desfecho com a apreensão do então menor de idade de iniciais não reveladas, atualmente maior com 18 anos.

Era um domingo, dia 15 de abril de 2018 e estava ocorrendo uma cavalgada na zona rural de Amargosa. Em dado momento houve uma discussão banal e o então adolescente, à época com 17 anos, sacou um punhal e desferiu vários golpe na vítima, que caiu ao chão ensanguentado, vindo a falecer pouco tempo depois. O crime gerou revolta à população do Município, com manifestações populares em busca de Justiça.

Rapidamente a Polícia Civil de Amargosa concluiu o procedimento investigativo e o Delegado Adilson Freitas representou pela internação provisória do menor infrator. Ocorre que, antes de ser decretada a internação, o menor empreendeu fuga do Município e desde então estava em local desconhecido.

Nos últimos meses, a Polícia Civil de Amargosa intensificou as investigações, até que finalmente o hoje maior de idade foi localizado vivendo tranquilamente na Cidade de Camaçari, na certeza da impunidade.

Descoberto seu paradeiro, uma equipe de Policiais Civis de Amargosa, deu cumprimento ao mandado de apreensão em desfavor do jovem. A sociedade ansiava por Justiça.

A vítima Edgar Santos da Silva Júnior, na época com 31 anos, conhecido por “Juninho”, um homem bastante querido na cidade.

Como à época dos fatos o apreendido possuía a idade de 17 anos, o mesmo responderá por ato infracional análogo a homicídio qualificado, mesmo já tendo completado a maioridade, sendo passível de ser aplicada medida sócio educativa, como a internação em Casa de Acolhimento ao Menor, até atingir a idade de 21 anos, quando então não mais poderá ser aplicada penalidade. Editado por Mídia Bahia, com informações da Criativa Online. Fonte: Polícia Civil