Prefeito de Ubaíra reivindica a Embasa medidas emergenciais para fim da crise hídrica no município


Foto: Ascom

Nesta sexta-feira (15), o prefeito Fred Andrade, acompanhado do Engenheiro Ambiental da prefeitura, André Azevedo, esteve mais uma vez com a equipe da Embasa para tratar da crise hídrica que afeta o município nos últimos dias.

 

O Gerente de Divisão de Águas da Regional de Jequié da Embasa, o senhor Augusto Cezar, e o Técnico de Saneamento Josaphat, participaram do momento no qual foram abordadas medidas emergenciais e outras para regularizar o abastecimento de água no município.

 

O prefeito Fred que desde 2017 vem reiterando a Empresa e ao Governo do Estado as solicitações do gestor anterior, Fábio Pinheiro, concernente a construção de uma nova barragem, limpeza e manutenção da atual, vem incansavelmente buscando encaminhamentos para que, essencialmente no período de estiagem, a população não sofra colapsos no abastecimento. Neste sentido, visitaram pontos estratégicos no município nos quais o fluxo hídrico possa ser canalizado até a Barragem do Mucuri.

 

Questionado sobre a limpeza da atual barragem, o gerente da divisão de Águas, Augusto Cezar, salientou que no momento não é viável tal ação, uma vez que prejudicará a qualidade e quantidade necessária de água para que o abastecimento seja normalizado.

Leia também

A Embasa assegurou ao prefeito a assistência de toda equipe técnica da região presente no município, reservatórios com capacidade entre cinco e vinte mil litros disponíveis em diversas localidades da cidade, cinco carros pipas, isenção de cobranças das contas correspondentes ao período em curso e a construção da adutora que fará a transposição de água.

 

Para o prefeito Fred Andrade, as medidas adotadas possuem um efeito que amenizam a situação momentânea, mas não resolvem definitivamente a problemática sofrida há muitos anos pela população ubairense neste período. O prefeito, que têm dois anos de gestão, garante que irá persistir na construção de uma nova barragem junto a Embasa e o governo do Estado. Fonte: Ascom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *