Sindicatos planejam greve geral contra reforma da previdência

Centrais sindicais argumentam a manutenção de privilégios de algumas categorias, a exemplo dos militares.


Os sindicatos brasileiros, já planejam paralisações para tentar barrar a reforma da previdência que será apresentada em breve pelo presidente Jair Bolsonaro do PSL.

Segundo informações da coluna Painel, do jornal Folha S. Paulo, a reunião das seis maiores centrais sindicais do país começará com um chamamento para uma greve geral.

O presidente da Força, Miguel Torres, paneja a paralisação logo no primeiro dia de apresentação da propostas, que segundo informações tem previsão de ser apresentada no início de fevereiro.

A suspeita de que os militares fiquem de fora das regras propostas será o ponto chave para a convocação.