Vazam conversas de WhatsApp de alunos do Antônio Vieira: “Deveria criar o Ministério da Tortura”


Alunos do Colégio Antônio Vieira, escola tradicional situada no bairro do Garcia, em Salvador, tiveram prints de conversas do WhatsApp vazados e o conteúdo tem chocado os internautas.

Em um grupo chamado “Direita delirante”, alunos que se dizem apoiadores do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), trocam mensagens de conteúdo machista, racista e misógino.

 

Em uma das conversas, um dos alunos sugere que todos os bandidos sejam enviados para reservas indígenas. “Aí eles se matam e matam os índios também”, ironiza. “Índio é inútil. Só serve para ter feriado e cobrar pedágio”, diz outro aluno.

Em outra conversa, um aluno chega a insinuar que o colega deveria criar o Ministério da Tortura, que seria mais importante que o da cultura.

Os jovens também falam sobre uma colega e um deles diz que “tem vontade de dar uma paulada na cabeça dela”.

Veja alguns trechos das conversas:

Foto: reprodução/WhatsApp

Foto: reprodução/WhatsApp

Foto: reprodução/WhatsApp

Em nota, a direção do Colégio Antônio Vieira informou que repudia as mensagens ofensivas e que está apurando o ocorrido para tomar as providências cabíveis. Veja:

Foto: reprodução/Instagram

Varelanoticias