Saiba se você tem alergia ao esperma


Muitas pessoas pensam que se trata de um mito, mas a hipersensibilidade ao plasma seminal humano, que nada mais é do que alergia ao esperma, é uma realidade que afeta entre 3% a 5% das mulheres.

Sintomas como comichão, ardor, corrimento após relações, vermelhidão e inchaço são os mais comuns para os que sofrem com o problema. Contudo, outros sintomas mais sérios podem ser identificados, como diarreia, dificuldade em respirar e aperto na garganta, o famoso edema de glote.

 

Especialistas pontuam, de acordo com a publicação do Sapo, que os homens não estão imunes a esta doença e o contato do esperma com o sangue, também pode provocar a mesma alergia.

Em relação ao tratamento, este pode ser feito com anti-alérgicos antes do sexo e fundamentalmente com o uso do preservativo, que continua a ser o método mais seguro. No entanto é possível fazer outros tratamentos, como é o caso da aplicação de plasma seminal diluído por método intra-vaginal ou subcutâneo.