EUA inclui Cuba em ‘lista negra’ de tráfico de pessoas por programa Mais Médicos


Cuba foi incluída na “lista negra” de tráfico de pessoas dos Estados Unidos. Segundo o relatório, os participantes do programa Mais Médicos são explorados, e o país não tomou medidas contra a exploração mesmo após denúncias. De acordo com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, o governo cubano “não criminalizou todas as formas de trabalho forçado ou tráfico sexual de jovens de 16 e 17 anos”.

Segundo o documento divulgado na quinta-feira (20), Cuba se retirou do programa após o presidente brasileiro Jair Bolsonaro (PSL) pedir melhores condições de emprego após denúncias de coerção, não pagamento de salários, retenção de passaportes e restrições no movimento. O relatório também afirma que o trabalho era forçado e que o governo cubano ameaçava e coagia alguns participantes a permanecerem no programa.